Faixa Atual

Título

Artista


Voos da Segurança garantem agilidade para primeira remessa de vacinas da Pfizer ao interior

Escrito por em maio 24, 2021

Nesta primeira remessa, a Secretaria Estadual da Saúde distribuiu 80.844 doses (do total de 108.264 em estoque) para 407 municípios

O apoio aéreo das forças de Segurança Pública assegurou a agilidade para mais uma etapa inédita na distribuição de vacinas no Rio Grande do Sul nesta segunda-feira (24). O governo do Estado encaminhou a primeira remessa do imunizante Comirnaty/Pfizer-Biontech para municípios do interior. A rapidez do deslocamento com as aeronaves da Brigada Militar (BM) e da Polícia Civil (PC) é ainda mais relevante para a preservação de doses dessa vacina, que tem características diferenciadas de armazenamento, manuseio e aplicação, em especial quanto às variações de temperatura a que podem ser submetidas.

Nesta primeira remessa, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) distribuiu 80.844 doses (do total de 108.264 em estoque) para 407 municípios. Além das vacinas, os municípios recebem seringas e diluentes (soro fisiológico). O helicóptero da Polícia Civil voou até Santa Maria, levando caixas com doses da 4ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), com sede no município, e da 10ª CRS, de Alegrete.

O avião King Air, da BM, fez paradas em cinco destinos: Erechim (levando o carregamento para a 11ª e 6ª CRS), Palmeira das Missões (15ª e 2ª CRS), Santo Ângelo (9ª, 12ª, 14ª e 17ª CRS), Bagé (7ª CRS) e Pelotas (3ª CRS).

Com 12 das 18 CRS cobertas, o transporte aéreo atende um total de 297 municípios. Representantes das outras seis CRS – 1ª (Porto Alegre), 5ª (Caxias do Sul), 8ª (Cachoeira do Sul), 13ª (Santa Cruz do Sul), 16ª (Lajeado) e 18ª (Osório) – retiraram os quantitativos de seus municípios na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), na capital, para o deslocamento terrestre. Os quantitativos das cidades que optaram por não receber as vacinas da Pfizer nesta segunda (24) ficarão reservados na Ceadi para entrega posterior.

Os municípios receberam suas doses refrigeradas (entre 2°C e 8°C). Nessa temperatura, podem ficar por até cinco dias (120 horas). Por essa limitação, a orientação do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) é que as prefeituras realizem agendamento prévio das pessoas a serem imunizadas. Da mesma forma, não é recomendada a estratégia de vacinação fora de Unidades Básicas de Saúde, como em drive-thru. Na sala da vacina, após o frasco ser tirado do refrigerador e diluído, as doses dever ser aplicadas em até seis horas.

Fonte: Governo do Estado

Marcado como

Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *