Faixa Atual

Título

Artista


Trabalhadores do setor de eventos são forçados a se reinventar para garantir o sustento

Escrito por em abril 6, 2021

O empreendedor Igor Longhi, que trabalhava como DJ, agora atua com manutenção de equipamentos

A pandemia do coronavírus provocou mudanças no mercado de trabalho, afetando trabalhadores e empresários. Entretanto, alguns setores foram mais afetados, como o mercado de eventos. A equipe de reportagem da Rádio Solaris 99.1 FM conversou com Igor José Longhi que, antes da pandemia, trabalhava como DJ e produtor de eventos em Flores da Cunha.

Longhi começou a carreira como DJ desde muito jovem, mas somente em 2015 passou a se dedicar integralmente ao ofício. Trabalhando também com som e iluminação de festas, ele atendia casamentos, aniversários, formaturas e shows. Entretanto, com a chegada da pandemia ele precisou dispensar seus três funcionários e mudar seu ramo de atuação.

“Começou a me dar um desespero”, conta sobre como se sentia ao receber os cancelamentos de eventos. Longhi diz que algumas cerimônias de casamento, por exemplo, precisaram ser adiadas quatro vezes, enquanto outras foram canceladas, por conta das restrições impostas pelo Governo, com o modelo de distanciamento controlado.

Dessa forma, foi necessário mudar de ramo. No porão da própria residência, no bairro Granja União, onde anteriormente se dedicava a manutenção de equipamentos de som, começou a prestar serviços de manutenção eletrônica. O DJ trocou o trabalho em festas e eventos por consertos de eletrodomésticos e eletrônicos. Montagem de home-theaters e instalação de som ambiente em restaurantes, igrejas e vinícolas também fazem parte do seu novo negócio.

Garçons, músicos, DJ’s, cerimonialistas e decoradores são alguns dos profissionais da área diretamente afetados. Longhi relembra que muitos colegas que também trabalhavam com festas tiveram que mudar de ramo. “Quem era dono do próprio negócio, virou funcionário de metalúrgica”, comenta sobre a situação de outras pessoas que também foram impactadas.

“Não tem mais como sobreviver trabalhando com eventos hoje em dia”, resume o empreendedor. Longhi não tem perspectivas de quanto tempo vai demorar para a retomada do setor. Enquanto isso, a única alternativa é se reinventar todos os dias e buscar seu sustento em outro trabalho.

Fotos: Igor Panzenhagen


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *