Faixa Atual

Título

Artista


“Temos que mudar o Modelo de Distanciamento Controlado sob pena do turista perder interesse pela Serra”, alerta coordenador de comitê Turismo RS da região

Escrito por em julho 25, 2020

Thomas Fontana afirma que a proposta é gradual e com todos os cuidados com a pandemia do coronavírus, mas se a situação continuar, o setor corre risco de desmonte

O Comitê da Retomada Turismo RS – uma ampla frente formada por 368 empresas, 83 entidades, 41 municípios e conselhos, além de centenas de profissionais do setor do turismo, está empenhado em uma nova proposta de Modelo de Distanciamento Controlado, baseada na retomada gradual e segura das atividades turísticas no Estado, em função da pandemia do novo coronavírus. Na Serra gaúcha, um dos principais destinos turísticos gaúchos, a mobilização conta com apoio de diversas entidades do ramo e lideranças empresariais, além de prefeitos.

Pesquisas apontam o Rio Grande do Sul como o 4º estado do país com mais perdas no setor de turismo. São prejuízos na ordem de R$ 90 bilhões e quase 1 milhão de postos de trabalho extintos nestes quatro meses de ‘abre e fecha”. Estima-se que até 40% do setor de gastronomia estadual fechará suas portas para sempre até o final da crise. Hoje menos de 20% do setor turístico está operando no Estado. Conforme Thomas Fontana, um dos coordenadores do comitê do G30 Serra, o movimento que iniciou há cerca de um mês e meio com objetivo de montar um grupo de trabalho para buscar soluções de retomada, já tem adesão de cerca de 90 entidades. “Nossa proposta é gradual e responsável para uma a retomada consistente e segura. Não é simplesmente a reabertura do setor”, explica.

Segundo ele, foi realizada uma pesquisa com trade turístico com cerca de 800 empresas que apontaram suas dificuldades do momento com a pandemia e expectativas em relação ao turismo e junto ao governo. “O Modelo é importante, mas sabemos que deve ter ajustes. Fizemos uma análise criteriosa com vários setores em um documento já entregue ao governo que está analisando com o gabinete de crise. Nos próximos dias queremos uma reunião com o governador Eduardo Leite”, salienta.

Thomas Fontana alerta que a situação poderá se agravar se continuar mais alguns meses sem ajustes no Modelo. “Tivemos vários hotéis fechados e em torno de 40% de restaurantes que também fecharam suas portas no Rio Grande do Sul. Turistas estão almoçando em banco de praça porque muitos estabelecimentos fecharam. Este é um dos pontos que identificamos e muito danoso para os negócios. Entendemos que o turismo, que foi construído há décadas na região, corre sério de risco de um desmonte. Turista quer uma programação completa e se a metade das empresas fecharem será muito prejudicial, porque eles (turistas) podem não ter mais interesse em conhecer o destino, ainda mais aqui na Serra que é referência nacional”, alerta.

Prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin, recebeu cópia do documento entregue ao governo
Marcado como

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *