Faixa Atual

Título

Artista


Secretaria Estadual da Saúde e municípios reforçam necessidade de busca aos faltantes da 2ª dose contra a Covid

Escrito por em julho 1, 2021

Em todo o Estado, são 199.358 pessoas nessa situação ou que não tiveram a aplicação da vacina registrada no Sistema de Informações do Plano Nacional de Imunizações (SI-PNI)

A Secretaria da Saúde (SES) reforçou, no final da tarde de quarta-feira (30), em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), a necessidade de municípios realizarem busca ativa aos cidadãos que receberam uma dose da vacina contra a Covid-19 e ainda não retornaram ao serviço de saúde para a segunda dose, já passado o tempo ideal de intervalo.

Em todo o Estado, são 199.358 pessoas nessa situação ou que não tiveram a aplicação da vacina registrada no Sistema de Informações do Plano Nacional de Imunizações (SI-PNI). Desse total, 121.908 são referentes a vacina Coronavac, 77.429 da Astrazeneca, e 21 da Pfizer.

“Não temos falta de vacina no Estado. As doses estão disponíveis porque foram distribuídas, e estão esperando os cidadãos para completar o esquema vacinal. Não podemos deixar doses paradas”, disse a secretária adjunta da SES, Ana Costa. “Quem receber só uma dose de vacina que requer reforço não está ainda imunizado por completo. É como se tivesse tomado apenas metade de um medicamento”, comparou.

Entre as estratégias sugeridas, está a busca ativa por nome dos faltantes. A SES está enviando listas nominais atualizadas aos municípios, que podem fazer contato por meio de agentes comunitários, rádio e jornais locais ou associações comunitárias. Os relatórios sobre os faltantes são gerados com base em dados informados pelos próprios municípios ao SI-PNI. Os municípios podem ter esses dados por conta própria, mas a SES fornece as informações consolidadas para acelerar e facilitar o trabalho dos gestores municipais.

Outra sugestão aos municípios é mobilizar associações comunitárias em bairros e ampliar a divulgação com relação aos públicos-alvo e locais de aplicação das doses em cada cidade. “Também precisamos destacar a importância de cada vacinador registrar as doses aplicadas todos os dias, para que possamos acompanhar os resultados da vacinação e definir ações de enfrentamento à pandemia”, disse Ana.

No município de Santa Maria, por exemplo, o secretário da Saúde, Guilherme Ribas, contou estar promovendo uma força-tarefa para colocar em dia os dados de todos os vacinados no sistema oficial do Ministério da Saúde. “Estamos acelerando. Tenho 40 pessoas digitando”, disse.

A maior parte das segundas doses não registradas está nos grupos prioritários das pessoas entre 65 a 69 anos (46.230) e dos trabalhadores da saúde (41.947), seguido pelo grupo das pessoas entre 60 e 64 anos (21.778) e do grupo das pessoas com 80 anos ou mais (21.414).

Fonte: Estado do RS


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *