Faixa Atual

Título

Artista


Rio das Antas atinge nível mais baixo dos últimos anos

Escrito por em maio 5, 2020

Em locais é possível a travessia a pé

Mesmo com toda a sua imponência, o Rio das Antas vem sentindo a falta de chuvas dos últimos meses. A baixa assustadora das águas pode ser maior que da década de 40, quando no local foi esculpida na pedra a data da estiagem, no nível mínimo do rio.

Na tarde de segunda-feira (04) nossa equipe esteve na Ponte Valdomiro Bocchese, divisa com Flores da Cunha e percebemos que, em muitos pontos é possível a travessia a pé. Logo abaixo da ilhota, que fica a direita da ponte, é possível cruzar o Antas sem molhar os pés.

No local, onde aportava a balsa, que fazia a travessia do rio até a década de 60, é possível visualizar uma inscrição gravada na pedra, com data de 1940, com as iniciais PP, que segundo moradores próximos seria de Pedro Pegorini, que era balseiro.

Não foi possível levantar à informação de quantas vezes as águas baixaram tanto.

Em 2012 uma longa estiagem deixou parte da inscrição emergiu, porém parte dela ainda estava submersa. Já na segunda-feira a inscrição estava toda à mostra.

Os 28 milímetros de precipitação das últimas horas pouco alterou o nível do rio.

Conheça o Rio das Antas

O Rio das Antas, pertence à Bacia Hidrográfica Taquari-Antas, a qual abrange 118 municípios gaúchos.
O rio Taquari-Antas tem suas nascentes nos municípios de Cambará do Sul, Bom Jesus e São José dos Ausentes, numa região de baixa densidade populacional, onde predomina a criação extensiva de gado. Esta paisagem começa a se transformar na altura de Antônio Prado, onde predomina a pequena propriedade com utilização intensiva, já com densidades mais elevadas. O trecho mais significativo em termos de uso e ocupação do solo está compreendido entre os municípios de Antônio Prado e Veranópolis, concentrando 50% da população e 57% das indústrias da bacia. Quanto ao uso agrícola, destacam-se em área cultivada as bacias de drenagem dos rios Carreiro, Forqueta e das Antas, predominando as culturas de milho e soja. Além destas culturas, o arroz também é cultivado nas partes mais planas, ao sul da bacia.

Reportagem de Ronei Marcilio

Imagens Luiz Filipini


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *