Faixa Atual

Título

Artista


Quem será o novo prefeito de Flores da Cunha?

Escrito por em outubro 4, 2019

A 365 dias para o pleito, o cenário aponta pelo menos quatro candidaturas ao executivo florense. Confira na matéria os nomes citados nos bastidores da política local

Faltando exatamente um ano para as eleições municipais, que irão acontecer em 4 de outubro de 2020, os partidos já se movimentam nos bastidores para formar coligações e alianças. Assim como em todos os 5.570 municípios brasileiros, Flores da Cunha também elegerá um novo prefeito, vice e vereadores.

Nos corredores da política, já correm alguns nomes de postulantes ao cargo de prefeito de Flores da Cunha. O atual, Lídio Scortegagna, do MDB, até tentou formar uma chapa única na cidade para sucedê-lo, mas não obteve sucesso. Hoje, diversos nomes são citados nos bastidores e vislumbra-se, a um ano do pleito, pelo menos quatro ou cinco candidaturas.

O nome dos candidatos só será escolhido definitivamente entre os dias 20 de julho e 5 de agosto do ano que vem. Neste período, irão acontecer as convenções partidárias e serão apresentados os postulantes ao cargo, conforme prevê a Lei da Reforma Política de 2015.

Na Eleição Municipal de 2020, candidatos a prefeito poderão formar coligações com outros partidos para a disputa. No entanto, as coligações são proibidas na eleição proporcional (de vereadores). Antes, os votos dados a todos os partidos da aliança eram levados em conta no cálculo para a distribuição das vagas no legislativo.

A Rádio Solaris FM 99.1, tentou contato com todos os presidentes de partido de Flores da Cunha, ouvindo suas observações sobre possíveis candidatos e coligações para o ano que vem.

O que falam hoje os partidos de Flores da Cunha:

O MDB, partido do atual prefeito de Flores, Lídio Scortegagna, é a cabeça de uma coligação de 11 partidos formada nos últimos sete anos na administração municipal. O presidente da sigla, Vereador Éverton Scarmin, disse que objetivo principal de momento é manter a união do grupo de partidos, já que, segundo ele, a coligação mostrou um bom trabalho. Scarmin também disse que participantes da aliança conseguiram nos anos de governo de Scortegagna um valor em emendas parlamentares para a cidade superior a R$ 14 milhões. Ainda segundo Éverton, a partir da união entre os partidos, deverá sair os nomes dos candidatos a prefeito e vice.

O Progressistas, na eleição de 2016 foi cabeça de uma chapa com o PDT. Na época, a candidata a prefeita era Roberta Verdi, sendo derrotada pelo então candidato a reeleição Lídio Scortegagna (MDB). Segundo o presidente do PP, Daniel Gavazzoni, os partidários já estão se mobilizando para ter uma candidatura majoritária, com nomes de prefeito e vice pertencentes à própria sigla.

O PDT na eleição anterior indicou o candidato a vice-prefeito para a coligação com o Progressistas, o nome escolhido foi de Luis Antônio Pereira dos Santos. Para 2020, o presidente do PDT, Domingos Dambrós planeja lançar uma candidatura própria, mas com abertura para alianças, que, segundo ele possam fortalecer o município. O Partido Democrático Trabalhista é o maior de Flores da Cunha em número de filiados.

O PSD atualmente faz parte da Coligação Flores Unida do prefeito Lídio Scortegagna (MDB). O presidente da sigla, Deonir Barcaro disse que a princípio, o partido deverá participar de uma coligação para eleger o novo prefeito de Flores da Cunha. Barcaro afirmou ainda que o PSD deverá ter candidatos ao cargo de vereador.

O Solidariedade é um dos 11 partidos da coligação de Lídio Scortegagna (MDB). Saule Mioranzza, que atualmente representa a sigla na cidade afirmou que, a princípio, deve participar de uma coligação. Mioranzza não soube dizer se o partido terá candidatos a vereador.  

O PT hoje faz parte do governo municipal e indicou a atual Secretária de Agricultura, Stela Pradella. Paulo Couto, presidente do Partido dos Trabalhadores em Flores da Cunha, destacou que a sigla está se reunindo regularmente desde o início do ano para planejar a próxima eleição. Paulo também não descartou a possibilidade de que o partido possa participar de uma chapa para a prefeitura.

O PTB, partido que no último pleito elegeu o atual Presidente da Câmara de Vereadores, Samuel de Barros Dias, também faz parte da aliança que governa a cidade. Para as próximas eleições, o presidente do partido, Antonio Ingles disse que provavelmente apresentará nomes para vereador. Já para prefeito, as definições sairão apenas em março de 2020.

O PSDB não pertence a nenhuma coligação e também não ocupa nenhuma cadeira da Câmara de Vereadores. Gilberto Malacarne, presidente do partido, falou que, a princípio conta com a parceria do Governador Eduardo Leite e do Prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Júnior, ambos do PSDB, para lançar uma candidatura própria a prefeitura de Flores da Cunha. Malacarne disse também que o partido terá candidatos ao legislativo municipal.

O Republicanos, antigo PRB, atualmente faz parte da coligação Flores Unida da administração do prefeito Lídio. No próximo pleito, o presidente do partido, Luís Fernando Rosa, não descartou a possibilidade de formar uma chapa para concorrer ao executivo municipal, com prefeito e vice do próprio partido. Rosa disse ainda que a sigla trabalha agora para conseguir os 14 nomes que irão concorrer à Câmara de Vereadores.

O PSL, partido do Presidente Jair Bolsonaro, fundado neste ano de 2019 em Flores da Cunha, também deve lançar nomes ao legislativo florense. O vice-presidente do partido, Ilvo Salvador, disse que o partido também pode apresentar candidatura própria a prefeito, sendo que as definições devem ocorrer a partir de abril de 2020.

O Avante atualmente faz parte do governo municipal. Para as próximas eleições, o presidente Edson Severo planeja lançar candidatos ao legislativo. Edson descartou a possibilidade de o partido lançar um nome para a prefeitura.

OBSERVAÇÃO: NÃO ATENDERAM OU NÃO RETORNARAM NOSSAS LIGAÇÕES/NÃO CONSEGUIMOS CONTATO, COM OS SEGUINTES PRESIDENTES DE PARTIDO: Ernani Heberle (PSB), Vanderlei Barborsa (DEM), Izequiel Brum (PCdoB) e Alexandre Frozza (PTC).

Bastidores:

Apesar de os presidentes das siglas não terem citado ninguém como pré-candidato a prefeito, nos corredores da política já começa o burburinho no entorno de alguns nomes:

Almir Zanin (Vice-prefeito e Secretário de Obras) – PSB
César Ulian (Vereador) – Progressistas
Clodomir Rigo (Vereador) – Progressistas
Claudete Conte (Vereadora) – PDT
Domingos Dambrós (Ex-vice-prefeito) – PDT
Ernani Heberle (Ex-prefeito) – PSB
Éverton Scarmin (Vereador) – MDB
Giovana Ulian (Ex-candidata a prefeita) – Progressistas
Gilberto Malacarne (Ex-vereador) – PSDB
Jorge de Godoy (Suplente de Vereador e ex-vice-prefeito) – Progressistas
Luís Fernando Rosa (Ex-candidato a vereador) – PRB
Moacir Ascari (Vereador) – MDB
Renato Cavagnolli (Ex-prefeito) – MDB

Nomes de possíveis pré-candidatos que não têm ligação com nenhum partido:
Ana Paula Weber (Secretária Municipal de Educação)
Jásser Panizzon (Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Flores da Cunha)
Olir Schiavenin (Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Flores da Cunha e Nova Pádua)

Prefeitura de Flores da Cunha
Foto: Fábio Carnesella/ Divulgação/ Assessoria de Imprensa

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *