Faixa Atual

Título

Artista


“Quanto mais se fala, mais se abre espaço para que as pessoas busquem ajuda”, diz psicóloga sobre prevenção ao suicídio

Escrito por em setembro 14, 2020

Luana Dondé foi entrevistada no programa Na Medida nesta segunda-feira (14)

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. O dia 10 deste mês é, oficialmente, o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, mas a campanha acontece durante todo o ano.

São registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de 01 milhão no mundo. Trata-se de uma triste realidade, que registra cada vez mais casos, principalmente entre os jovens. Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias.

Conforme a psicóloga Luana Dondé, em entrevista à Rádio Solaris 97.3 nesta segunda-feira, “quanto mais se fala sobre o tema, mais se abre espaço para que as pessoas busquem ajuda”.

Não há uma única forma para identificar uma pessoa que está sofrendo de problemas psicológicos, são vários comportamentos. Pode-se identificar distúrbios no sono, na alimentação, mudanças no comportamento do cuidado pessoal, mudanças no humor – pessoa mais agressiva ou mais quietas, entre outros.

Luana diz que o trabalho de apoio da família e amigos é fundamental, sempre buscando escutar a pessoa sem julgá-la. Em seguida, é importante buscar auxílio psicológico, por vezes também é orientado o acompanhamento com psiquiatra. “É uma rede de trabalho de forma múltipla”, diz a profissional.

Parte do público jovem inspira certos cuidados pois, conforme a psicóloga, “os jovens tem uma tendência em sofrer calados”. Nesse caso, bebidas ou drogas são sinais indiretos de problemas psicológicos, pois podem ser utilizados como fuga dos problemas.

Mais informações podem ser encontradas no site https://www.setembroamarelo.com/

Fonte: Grupo Solaris – Repórter Luiz Augusto Filipini


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *