Faixa Atual

Título

Artista


“Pelos nossos indicadores, nunca precisávamos ter entrado em bandeira vermelha”, diz presidente da Amesne

Escrito por em julho 28, 2020

José Carlos Breda concedeu entrevista a Rádio Solaris 97.3

“Desisti de assistir televisão”, foi assim que José Carlos Breda iniciou a conversa com a Rádio Solaris nesta terça-feira (28). Mostrando-se mais uma vez indignado com o fato da Serra Gaúcha permanecer em bandeira vermelha por mais uma semana, após a definição da 12ª Rodada do Modelo de Distanciamento Controlado.

Breda diz que os dados levados em conta pelo Comitê Estadual que analisa os recursos apresentados pelas regiões “não refletem mais a realidade e não levam em conta o número de leitos”.

Conforme o Governo do Estado, a Serra Gaúcha tem quatro dos 11 indicadores analisados pelo Comitê para definir a cor da bandeira de uma região, em bandeira preta. Em relação aos leitos de UTI, a média de aberturas de leitos de UTI é de um a cada dois ocupados. Soma-se a isso a elevação das hospitalizações de pacientes positivos para coronavirus, bem como elevação das internações em leitos de UTI por Covid-19.

Das 49 cidades que formam a macrorregião da Serra Gaúcha, 23 adotarão bandeira laranja. São elas: Alto Feliz, Boa Vista do Sul, Coronel Pilar, Cotiporã, Esmeralda, Fagundes Varela, Ipê, Jaquirana, Linha Nova, Monte Alegre dos Campos, Nova Araçá, Nova Bassano, Nova Pádua, Nova Roma do Sul, Paraí, Picada Café, Pinhal da Serra, São Jorge, São Vendelino, União da Serra, Vale Real, Vila Flores e Vista Alegre do Prata.

José Carlos Breda defende que “pelos nossos indicadores, nunca precisaríamos ter entrado em bandeira vermelha”.

Sobre as possíveis mudanças no Modelo de Distanciamento Controlado, onde as cidades teriam autonomia em decidir qual bandeira seguir, Breda diz que as informações seguiriam sendo passadas ao Comitê Estadual, assim como à Secretaria Estadual de Saúde. O levantamento de dados seguiria ocorrendo, levando em conta as internações nos Hospitais da região e as tendências de contaminação. O tema segue sendo debatido pelas federações, buscando chegar a um consenso sobre a aplicação ou não da medida.

Fonte: Grupo Solaris – Repórter Luiz Augusto Filipini.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *