Faixa Atual

Título

Artista


Pelé 80 anos: um atleta que parou guerra

Escrito por em outubro 23, 2020

Edson Arantes do Nascimento nasceu em 23 de outubro de 1940

Nesta sexta-feira (23), o Rei do futebol completa 80 anos de idade. Pelé nasceu em 23 de outubro de 1940 na cidade de Três Corações, interior de Minas Gerais. Poucos sabem, mas a origem de seu apelido, que na verdade virou uma espécie de nome internacionalmente conhecido, “Pelé” surgiu ainda na época da escola, quando Edson pronunciava o nome de seu jogador preferido, “Bilé”, que defendia o Vasco da Gama.

A juventude e adolescência foi em Bauru, interior de São Paulo, onde o futuro craque dos gramados trabalhava em uma loja de chás para contribuir com a família.

O início no futebol foi através do pai, o também jogador João Ramos do Nascimento que, por não possuir dinheiro para comprar uma bola, improvisava uma meia com jornal amarrada com uma corda.

Edson se aventurou em muitos clubes, inclusive no futebol de salão, de onde, segundo ele próprio, ganhou a velocidade nas jogadas e o raciocínio rápido.

Sua ida ao Santos foi através de um “olheiro”, como são chamados os profissionais que vão em busca de jogadores que podem se tornar craques. Na época, com 15 anos de idade, ele já assumia pintas de craque. A estreia foi em 7 de setembro de 1956, diante do Corinthians de Santo André, onde marcou gol na vitória por 7 a 1.

Após 10 meses no Santos, Pelé era convocado pela Seleção Brasileira para defender a equipe na Copa de 1958. Seu primeiro gol com a camisa canarinho foi aos 17 anos, contra País de Gales, nas quartas de final daquela Copa.

Em 1958, na final contra a Suécia, ocorre um dos gols considerados mais bonitos de todos os tempos, onde Pelé aplica um chapéu no zagueiro sueco e, sem deixar a bola cair no gramado, chuta de pé direito para marcar o gol. Suas atuações lhe renderam o prêmio de Bola de Prata da Copa, atrás apenas de Didi, que recebeu a Bola de Ouro.

Em 1962, na Copa da Inglaterra, Pelé se lesionou no segundo jogo, permanecendo fora no restante dos jogos, dando lugar a Amarildo. O Brasil foi Bicampeão.

Na copa seguinte, em 1966, ficou marcada pela quantidade de faltas em Pelé, que afirmou, após o jogo contra Portugal, nunca mais jogar uma copa. Porém, em 1969, foi convocado para a disputa da Copa do México, em 1970, seleção que contava com Rivelino, Jairzinho, Gérson, Carlos Alberto Torres, Tostão, entre outros. Na final contra a Itália, vitória por 4 a 1 com direito ao gol 100 de Pelé pela Seleção Brasileira.

O craque já havia marcado seu gol de número mil em 1969, pelo Santos. Em 1975, após 19 anos no clube da Vila Belmiro, Pelé se transfere para o New York Cosmos, sendo creditado como um dos responsáveis pelo aumento da popularidade do esporte em terras americanas.

Em 1977, Pelé se despede oficialmente dos gramados em um amistoso entre NY Cosmos e Santos.

Um dos destaques sociais de Pelé foi o auxílio em parar a guerra civil na Nigéria, em 1969, durante uma excursão do Santos. A guerra iniciou em 1967, em um conflito étnico, político e econômico. A região de Biafra, no sudeste do país, possuía grandes reservas de petróleo e tentou a independência, dando início a uma batalha que resultou na morte de 2 milhões de nigerianos.

Fonte: Grupo Solaris – Repórter Luiz Augusto Filipini


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *