Faixa Atual

Título

Artista


“Para o retorno do aluno, quem define são os pais” diz coordenadora da 4ª CRE em entrevista à Rádio Solaris

Escrito por em outubro 21, 2020

Viviani Devalle explicou o retorno das atividades presenciais nas escolas da região

Nesta quarta-feira (21), a coordenadora da 4ª Coordenadoria Regional de Educação (4ª CRE), Viviani Devalle, que atende a 14 municípios da região serrana, entre eles Antônio Prado, Flores das Cunha e Caxias do Sul, trouxe informações sobre o retorno das atividades presenciais nas escolas da região.

Conforme Viviani, são 118 escolas atendidas pela 4ª CRE, que aguarda o posicionamento definitivo de alguns municípios sobre o retorno presencial da rede estadual de ensino, marcado para o próximo dia 28 de outubro.

Caso o município apresente um decreto contra o retorno presencial, ele é encaminhado ao Governo do Estado, que tem a função de analisar e definir se o retorno ocorre ou não. A coordenadora destaca que “no retorno em rede, é preciso haver um acordo entre os entes governamentais, Estado e municípios”.

Viviani enfatiza que “para o retorno do aluno, quem define são os pais ou responsáveis, o que está sendo oferecido é a possibilidade do retorno seguindo aos protocolos”.

Mesmo com o retorno presencial, o ensino seguirá de forma híbrida, com parte das atividades ainda sendo realizadas no ambiente online. A carga horária presencial será de nove a 15 horas semanais, conforme Viviani, sendo cerca de três horas diárias.

Perguntada sobre a entrega dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), a coordenadora diz que “é preciso avaliar cada caso, são 118 escolas e 118 realidades diferentes”. Os EPIs estão sendo entregues dentro dos prazos, segundo Viviani, informando que pode haver atrasos devido ao transporte.

Caso determinada escola receba apenas uma parte dos equipamentos, é orientado que o restante seja comprado. Caso não tenha essa possibilidade, a instituição de ensino não poderá retornar enquanto não tiver disponível todos os equipamentos de proteção à disseminação do coronavírus.

Em relação aos recursos humanos nas escolas, conforme Viviani, será necessário contratar pouca carga horária presencial, já que ela será realizada em período reduzido. Os serviços de limpeza foram terceirizados, através da contratação de uma empresa especializada. Para a merenda escolar, onde não há merendeiras, o cardápio será modificado, sendo adotado de forma alternativa, sem comida quente, sendo distribuídos sanduíches, frutas, entre outras.

Conforme Viviani, professores que apresentarem atestado médico não terão obrigação de retornar, mas “muitos tem pedido pelo retorno”, complementa ela.

Sobre a validade do ano letivo, ele está garantido, conforme documento do Conselho Nacional de Educação. O calendário prevê o encerramento em oito de janeiro.

Fonte: Grupo Solaris – Repórter Luiz Augusto Filipini


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *