Faixa Atual

Título

Artista


O jovem de Protásio Alves e suas coleções

Escrito por em fevereiro 26, 2021

São mais de duas mil peças que eu fui juntando e outras que ganhei, diz Tiago

Na comunidade da Linha Sétima, interior de Protásio Alves, um jovem de 21 anos demonstra raro apego à história da família que representa a trajetória da colonização italiana na região.

Em cômodos da antiga residência da família, Tiago Balzan apresenta peças como esporas de prata, equipamento para eliminar formigas usando arsênico e fogo, o baú centenário onde a nona guardou seu enxoval, cadernos das tias-avós, jornais Domingo da década de 40, cédulas e moedas, artigos religiosos e pessoais de uma época longínqua, mas que faz parte da história da vida da maioria dos moradores da serra gaúcha.

– São mais de duas mil peças que eu fui juntando e outras que ganhei. A intenção é separar, catalogar e disponibilizar à visitação –  prevê Tiago.

– Já me ofereceram mais de R$ 1 mil por uma peça da família. Não aceitamos, porque o valor sentimental não tem preço monetário –  comenta Domingos, o pai de Tiago.

A propriedade na qual vivem Tiago, seus pais, Domingos e Elídia, e a sua avó Ângela, é aconchegante como geralmente são as residências do interior. Existe a fonte da qual a água é naturalmente refrescante. Encontramos um pátio grande e bem cuidado. O jardim e a horta têm o desenho que a família lhe concede. Os animais e aves domésticas convivem harmoniosamente.

As latas, as moedas, a antiga Regência as placas

Saímos da antiga residência dos avós de Tiago e vamos para a confortável casa onde uma das salas foi transformada em um espaço de exposição para as mais de três mil latas que ele coleciona.

– Fui juntando, trocando, comprando ou vendendo.  A interação intensa é  um dos aspectos mais interessantes no colecionar – comenta Tiago.

Tiago apresenta a coleção de latas e chama a atenção para um antigo cartaz publicitário da extinta Regência Indústria de Bebidas Ltda, referência no ramo, fundada em 1966, em Nova Prata.

–  Recebemos ofertas pelas tampas das garrafas dos produtos da Regência e também pelo cartaz, que é uma raridade  – comenta Tiago.

Da sala à garagem, encontram-se as antigas placas amarelas de duas letras e, Domingos sugere que as letras das primeiras placas de Protásio Alves podem ser uma homenagem ao primeiro prefeito e vice-prefeito: N (Nilo Stella) e R (Reineli Prigol).

Ao deixar a propriedade da Família Balzan, leva-se um pouco da história de muitas famílias da região que pode ser a de todos os imigrantes que chegaram da Itália com sonhos realizados e valorizados por seus descendentes.

Para mais informações sobre as coleções de Tiago Balzan, o contato é o (54) 2121.9830.

Texto e fotos: Sonia Reginato/C+C CONECTA+ COMUNICAÇÃO Imprensa Oficial dos Municípios de Nova Prata e Protásio Alves


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *