Faixa Atual

Título

Artista


Mulheres são maioria à frente das hortas comunitárias em Caxias

Escrito por em março 4, 2022

Levantamento da Secretaria da Agricultura aponta participação feminina em 80% dos cultivos nos espaços comunitários

Às vésperas do Dia da Mulher (8 de março), a Secretaria Municipal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Caxias do Sul (SMAPA) realizou levantamento segundo o qual 80% dos moradores que cultivam as hortas comunitárias são mulheres. Elas atuam na horta do Bairro Colina do Sol (76 famílias) e na recém-criada no Bairro Belo Horizonte (20 famílias), ambas na Zona Norte. Em dezembro de 2021, foi sancionada a lei que institui o Programa Municipal de Agricultura Urbana, possibilitando a ampliação da atividade.

De acordo com a secretaria, a primeira Horta Comunitária foi criada em 2006, na área sob as torres da Eletrosul, entre os bairros Colina do Sol e Vila Ipê. As famílias plantam para consumo próprio e podem comercializar o excedente para complementar a renda. O espaço tem seis quadras de extensão, numa área de 4,73 hectares com potencial para o cultivo agrícola orgânico, sem uso de produtos químicos. Os participantes do programa são moradores dos bairros próximos.

Conforme a Diretora de Segurança Alimentar e Nutricional da SMAPA Cristina Fabian Gregoletto, a horta comunitária possibilita uma complementação da alimentação das famílias cadastradas e o acesso a produtos mais saudáveis, além de promover a integração da comunidade. No bairro Belo Horizonte, a horta tem apenas três meses e já produz tomate cereja, rabanete, moranga, milho, feijão, rúcula, alface, cebolinha, aipim, repolho, batata doce, abobrinhas e rabanete.

As mulheres se revezam e comandam a atividade. Além dos alimentos, Maria de Lourdes Oliveira, 60 anos, cultiva também flores no local com as companheiras. Já Adelaide Schmitt, 78 anos, gosta de se dedicar à produção de folhas verdes para garantir alimentação balanceada à família. “Muitas destas mulheres têm origem no interior, onde já trabalharam muito com a terra, na roça. São vivências que enriquecem o convívio e o resultado da produção no espaço comunitário”, alegra-se Genielha Jesus da Silva, auxiliar de infraestrutura da SMAPA.

O projeto Hortas Comunitárias está presente em várias cidades brasileiras. As hortas ficam em terrenos onde não pode haver habitações, como por exemplo sob torres da rede elétrica. “Esses terrenos, se não forem utilizados para algum programa que traga benefícios para a comunidade, geram depósitos irregulares de lixo, ou outros problemas sociais, como invasões”, lembra o secretário Rudimar Menegotto.

Segundo ele, a intenção da pasta é intensificar a produção nas hortas comunitárias e incentivar mais moradores a se integrar. Sempre que necessário, a SMAPA auxilia nos locais com maquinário para limpar e preparar os canteiros. Equipes da secretaria também lavram a terra com disco de arado e uniformizam o solo com a grade niveladora. Se necessário, utilizam retroescavadeira para retirada de pedras e entulhos.

Além do trabalho nas hortas, as famílias cadastradas participam de ações de saúde, educação e assistência social. Suspensas no início da pandemia, as atividades foram retomadas no final de 2021, como por exemplo no Outubro Rosa e no Novembro Azul. Na época, a equipe de Segurança Alimentar promoveu um reencontro com palestra a cargo da Associação de Apoio a Pessoas com Câncer, que informou sobre prevenção do câncer de mama e próstata. A programação ainda teve lanche e dinâmicas com a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. As famílias também ganharam mudas de flores doadas pelo Horto Municipal, vinculado à Secretaria do Meio Ambiente.


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *