Faixa Atual

Título

Artista


La Niña demanda atenção dos produtores de frutíferas de clima temperado para minimizar perdas

Escrito por em outubro 29, 2020

Parreirais da Serra sofrerão impactos das chuvas abaixo da média

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural e a Embrapa Uva e Vinho divulgaram a Edição de outubro do Boletim Agrometeorológico da Serra Gaúcha, com uma avaliação das condições meteorológicas ocorridas em agosto e setembro, além do prognóstico climático associado a recomendações fitotécnicas para vinhedos e pomares até dezembro.

Segundo Amanda Heemann Junges, agrometeorologista e pesquisadora da Seapdr, os prognósticos climáticos indicam que a primavera 2020 será marcada pela ocorrência do fenômeno La Niña, o que requer especial atenção por parte dos produtores em função das chuvas abaixo da média.

Para o fitopatologista Lucas Garrido, da Embrapa Uva e Vinho, é importante realizar o controle do míldio, especialmente durante o período de floração, em regiões mais baixas ou com formação de orvalho. A redução das chuvas também trará alguns benefícios, com uma previsão de redução da incidência de antracnose, míldio e escoriose. Por outro lado, irá favorecer a ocorrência do oídio.

O uso de cobertura verde ou morta para garantir a umidade do solo e o uso de irrigação, com especial atenção à real necessidade, bem como da quantidade de água a ser aplicada, são algumas das recomendações apontadas pelos especialistas a serem consideradas pelos produtores para minimização de eventuais perdas.

Destaques da edição

  • O inverno de 2020 foi ligeiramente mais quente do que a média, com temperaturas médias mensais acima da média histórica em junho e agosto, e abaixo da média histórica em julho. Mesmo assim, o número de horas de frio ocorridas de abril a setembro foi adequado para a superação da dormência e brotação das frutíferas de clima temperado na região da Serra;  

  • Durante o inverno (trimestre junho-julho-agosto), foi possível a reposição de água nos solos, rios, lagos e açudes em função da elevada quantidade de chuvas. Em Veranópolis, por exemplo, a chuva ocorrida no inverno foi quase duas vezes a média histórica dessa estação do ano;

  • Com a ocorrência do fenômeno La Niña na primavera 2020, são esperadas chuvas abaixo da média nos meses de outubro e novembro. Apesar dos valores de chuva mais próximos da média em dezembro, estão previstas temperaturas do ar elevadas, as quais aumentam a evapotranspiração das plantas;

  • Diante dos prognósticos climáticos, que tendem a favorecer a polinização e a frutificação efetiva, é recomendada a prática de raleio para o ajuste de carga e garantia da qualidade final da fruta;

  • Com a primavera mais seca, atenção aos ataques de ácaros e mosca-da-fruta. Na videira, há previsão de uma redução de ocorrência de míldio, antracnose e escoriose, mas aumento do oídio nas cultivares europeias e híbridas;

  • Em função das chuvas abaixo da média, é importante manter a cobertura vegetal ou cobertura morta para garantir a conservação do solo e promover maior armazenamento de água;

  • As oscilações térmicas no final de julho e agosto de 2020 estimularam a brotação precoce de algumas cultivares precoces, como as uvas Chardonnay ou os pêssegos Chimarrita, o que ocasionou perdas por geadas em algumas propriedades. Nesse caso, os especialistas orientam uma avaliação dos locais afetados pelas geadas e a possível troca por cultivares com brotação tardia para evitar as perdas em safras futuras.

Confira o boletim completo

Fonte: Governo do RS


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *