Faixa Atual

Título

Artista


Justiça suspende liminar que determinava retirada do CTG Rincão da Lealdade em Caxias do Sul

Escrito por em março 15, 2022

Local onde a entidade está instalada pertence ao governo do Estado e será destinado para ampliação do Hospital Geral

Foi suspensa pela justiça a liminar que determinava a retirada imediata do CTG Rincão da Lealdade do local que ocupa desde sua fundação, no ano de 1953. O CTG está localizado na BR-116, próximo ao Hospital Geral, em Caxias do Sul. A decisão foi publicada por volta das 17h de segunda-feira (14), após a assinatura do documento pela juíza da 2ª Vara Cível de Caxias, Maria Cristina Rech.

No despacho, a magistrada cita a complexidade que seria executar tal mudança, visto que a entidade teria que buscar uma nova área e fazer todo um estudo de como remover todo o patrimônio histórico sob sua guarda hoje na sede atual. O CTG Rincão da Lealdade ocupa um espaço que pertence ao Estado. No local, há o interesse de instalar parte da ampliação do Hospital Geral, mantido pela Fundação Universidade de Caxias do Sul (Fucs). A ação judicial foi movida pelo governo estadual.

De acordo com o patrão do CTG Valdemar Soares, depois de muita luta, mobilização social e política, somado à ação em muitas frentes, na última quinta-feira (10), a entidade foi atendida pela Procuradoria Geral do Estado. “A reunião ocorreu de forma virtual, visto que o procurador, senhor Eduardo Cunha, se encontrava em agenda nos Estados Unidos. A conversa foi no sentido de buscar um acordo entre CTG e Estado, para que se encontre uma solução viável, justa e sem danos a ambas as partes”, relata Soares. O encontro contou com a participação da deputada Fran Somensi.

A entidade afirma que continuará buscando a agenda junto ao governador do Estado, no intuito de avaliar a situação em um contexto geral, que vá além do processo judicial. “O CTG e todas as entidades envolvidas, continuarão na busca por uma agenda com o governador do Estado, visto a necessidade de contextualizar todo o processo para além da esfera judicial, de forma que todos os aspectos que envolvem esta decisão, fiquem claros aos olhos do Estado, que vem sendo provocado no processo pela Fundação Universidade de Caxias do Sul”, pondera Valdemar.


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *