Faixa Atual

Título

Artista


Internet de alta velocidade muda rotina de moradores de áreas rurais de Antônio Prado

Escrito por em agosto 3, 2022

Instalação de rede de 250 quilômetros de fibra óptica está facilitando maior contato com clientes, divulgação de produtos e aulas, entre outras atividades

Enquanto os centros urbanos se preparam para a chegada do 5G, a quinta geração da rede de telefonia móvel, a zona rural ainda sofre com a ausência de um sinal de internet de qualidade. Seja para o contato dos produtores com clientes, para a emissão de notas fiscais eletrônicas ou até mesmo para incentivar as novas gerações a permanecer no campo, a conexão instável faz com que as distâncias pareçam ainda maiores. 

Em Antônio Prado, na Serra gaúcha, essa realidade irá mudar, inicialmente, para 360 famílias beneficiadas com a instalação de 250 quilômetros de fibra óptica em 32 comunidades rurais. A novidade, idealizada por meio do programa municipal Conecta Rural,  deve duplicar o número de assinantes nos próximos meses, conforme a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente. Isso porque é grande o interesse dos produtores que já acompanham a chegada da inovação nas propriedades vizinhas. A ação é da prefeitura, que buscou parceria público-privada para levar a banda larga para diversas localidades que hoje dependem de internet via rádio, por exemplo, ou sequer conseguem fazer um ligação de celular.

“Começamos com esse número que foi o apresentado para buscar as empresas interessadas, mas estamos com quase 400 cadastrados. Conforme as famílias assistem o fio passando, se interessam,” conta a diretora da pasta, Cátia Chilanti, que aponta cerca de 800 famílias vivendo atualmente no interior do município.  

Para a compra do cabeamento, a prefeitura investiu R$460 mil no processo licitatório para a concessão do serviço. De Nova Prata, a empresa Adylnet ficou responsável pela instalação e comercialização dos planos de 20, 60 e 120 megabytes (MB) de velocidade que irão levar o sinal para propriedades distantes até 30 quilômetros do centro do município. 

De acordo com o representante da empresa, o engenheiro de telecomunicações Deividi Longaretti, a velocidade poderá ser aumentada, conforme a necessidade e o interesse do cliente, podendo chegar até 600 MB. 

“Onde não tinha nem sinal de celular, agora poderá ser feito videochamada. É um aumento e tanto na qualidade de vida do interior,” exalta o engenheiro. 

A empresa utiliza os postes da Rio Grande Energia (RGE) para a instalação do cabeamento e deixa uma caixa a cada 300 metros para bifurcar os cabos em futuras conexões. 

A demanda por um sinal de qualidade no interior da cidade aumentou ainda mais durante a pandemia, uma vez que alunos do meio rural foram obrigados a estudar em casa. Professora do curso de Medicina Veterinária da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Cátia Chilanti acompanhou estudantes que precisavam deixar a propriedade dos pais para concluir os estudos na cidade, onde a internet era mais confiável. 

“Eram universitários que tinham muita dificuldade de acessar e participar das aulas,” conta. 

Foi o que aconteceu com Érica Camatti, 22, nos últimos semestres do curso de Agronomia. Na propriedade da família em São José do 2º Distrito, a instabilidade da internet por rádio era um complicador. Os estudos perdiam a constância e se tornavam um desafio a cada a aula. 

“Era difícil, se dava um mau tempo, sempre caía. Agora vai mudar muita coisa. Um exemplo é poder acompanhar em tempo real o quanto de energia as placas solares estão gerando, antes isso era sempre complicado,” revela Érica, que permanece no campo e investe em uma agroindústria ao lado de casa para produzir suco de uva e molho de tomate orgânicos comercializados em feiras de Porto Alegre.

Com 43 placas solares para abastecer câmaras frias, estufas e irrigação dos pomares, a propriedade da família Camatti possui produção diversa de orgânicos e tecnologia que não deixa as geadas queimarem a produção. Atento às inovações, a produção capitaneada pelo pai de Érica não poderia seguir sofrendo com as dificuldades de comunicação causadas pela ausência de sinal.

“A gente passou a fazer muitas coisas pela internet, aí que a gente viu a necessidade de ter um sistema melhor,” explica Nilson Camatti, 50, que há 32 anos leva hortifrútis para as feiras do parque da Redenção e do bairro Menino Deus, na Capital. Agora com banda larga em casa, o contato com os clientes ficará mais fácil e será possível mostrar de onde vêm os produtos comercializados aos sábados. 

“A minha filha decidiu ficar na agricultura, é um motivo de orgulho, ela criou um (perfil no) Instagram, que por ali os clientes fazem pedidos antecipados e retiram na feira. Antes, era só por telefone, que inclusive piorou muito o sinal nos últimos anos,” compara Camatti. 

Com a internet instalada, a ideia é ir além da publicidade nas redes sociais. Segundo ele, o sinal possibilitará monitorar a umidade do solo por meio de um aparelho já instalado na lavoura.

Rompendo a burocracia

A chegada da fibra óptica no interior de Antônio Prado não é apenas um atrativo para reter o jovem no campo ou para ampliar a tecnologia utilizada nas propriedades. A simples emissão das notas fiscais eletrônicas esbarrava na ausência de sinal, forçando agricultores a se deslocar para a área urbana para registrar o documento.  

“Era a principal função da colônia sem internet. Quando precisava fazer a nota, tinha que ir até a cooperativa pra enviar. Lá na cidade, aproveitava a conexão pra fazer tudo que precisava,” relata Aldino Foscarini, 38, que a cada safra envia a produção de uva, maçã e pêssego para São Paulo. 

A esposa de Foscarini, a agricultora Cátia Menon, 31, comemora conseguir fazer os contatos, a partir de agora, via aplicativo de mensagens. 

“Vai ajudar muito, fica tudo mais fácil para fazer notas, para escoar a produção e nos manter conectados. A gente se sentia excluído sem internet,” desabafa. 

Fonte: Pedro Zanrosso/Pioneiro

Fotos: Bruno Todeschini


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *