Faixa Atual

Título

Artista


Intensificado combate ao mosquito da dengue em Flores da Cunha

Escrito por em março 12, 2020

Equipes da Secretaria da Saúde contam agora com reforço das agentes das UBSs

A sequência de dias quentes no mês de março, além dos quatro focos das larvas do mosquito da dengue encontradas na área central e no bairro vindima no início deste mês, fizeram a Secretaria da Saúde de Flores da Cunha incrementar a equipe de fiscalização e combate ao Aedes Aegypti transmissor também da Zika vírus e chikungunya. As mesmas contam agora com o reforço das agentes de saúde das Unidades Básicas.

O período mais crítico para a proliferação é até o final do mês de abril, sendo fundamental a limpeza de terrenos baldios, o recolhimento em áreas públicas e privadas de potes, vasinhos, garrafas, pneus e plásticos. As equipes estão passando nos principais pontos de todas as regiões de Flores da Cunha, com o trabalho e fiscalização e orientação, inclusive com a entrega de panfletos.

Cerca de 80% dos focos do Aedes estão dentro das residências, e o ciclo de reprodução do mosquito pode variar de 5 a 10 dias, passando pela fase larvária até chegar à forma adulta.

10 dicas para combater o mosquito Aedes Aegypti

1. Não deixe acúmulo de água. A água da chuva pode se acumular em garrafas, pneus, ou qualquer outro reservatório. Após os períodos de chuva, verifique se não ficou água acumulada em algum local.

2. Ponha areia nos vasos das plantas. Em vez de usar água para as plantas, use areia ou pó de café nos pires dos vasos e, então, coloque água. A água contida é suficiente para manter as plantas vivas, mas sem ser um ponto de depósito dos ovos do mosquito da dengue.

3. Faça furos nos pneus velhos. Os furos permitem que a água acumulada escorra, não ficando parada e, assim, evitando que o mosquito se reproduza.

4. Cuidado com a caixa d’água. A caixa d’água é um excelente reservatório para os ovos da dengue. Mantenha-a sempre fechada e a limpe frequentemente com produtos especializados para a limpeza de caixas. Isso também vale para poços, cisternas e caçambas que se acumulam água.

5. Remova folhas e galhos das calhas. Esses objetos, assim como outros (flores, pedaços de garrafa, etc) impedem que água escoe e então, se acumula. Verifique semanalmente o estado de calhas, canos e ralos.

6. Evite cultivar plantas aquáticas. A água das plantas aquáticas é limpa e propícia para a reprodução da dengue. Durante o pico da dengue, plante outros tipos de planta.

7. Mantenha latas e garrafas emborcadas para baixo. Isso evita que a água da chuva se acumule e fique parada por muito tempo. O ideal é jogar garrafas, latas e latões fora ou não deixá-los expostos.

8. Use telas protetoras. A tela protetora evita que os mosquitos entrem na sua casa, mas não impedem que ele se reproduza. O uso de telas e tecidos nas janelas é uma medida complementar e deve ser associada às outras práticas para evitar a reprodução do Aedes.

9. Cuide das piscinas. As piscinas são normalmente difíceis de tratar por possuem um volume grande de água. Se você não a está utilizando, cubra-a com uma lona. Trate a água da piscina com cloro e outros desinfetantes de água.

10. Preste atenção ao lixo. Muitas pessoas pensam que os lixos, por acumularem água suja, não apresentam perigo à dengue. Mas a verdade é que se há água acumulada, há a possibilidade de reprodução do mosquito. Para isso, vede os sacos de lixo e não os deixe expostos.

Informações e denúncias podem ser realizadas pelo telefone (54) 3292 6800.

Foto: Ass.Imprensa Prefeit./Divulgação

Cerca de 80% dos focos estão dentro das residências

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *