Faixa Atual

Título

Artista


Governo revisa dados e mantém duas regiões em bandeira vermelha

Escrito por em junho 17, 2020

Caxias do Sul e Uruguaiana seguem em vermelho, e Santa Maria e Santo Ângelo voltam à laranja

A partir da agenda de diálogo com prefeitos das quatro regiões que passaram para bandeira vermelha nesta semana, apontando risco epidemiológico alto e, portanto, restrições mais rígidas para conter o coronavírus, o governo do Estado revisou os dados da sexta rodada do modelo de Distanciamento Controlado e anunciou duas mudanças na terça-feira (16/6).

Com a contabilização de novos leitos na região de Santa Maria e da recontagem de casos na região de Santo Ângelo, as regiões voltaram à bandeira laranja (risco médio). Por outro lado, a revisão não alterou a classificação das regiões de Caxias do Sul e de Uruguaiana, que seguem com a cor vermelha.

“O modelo que desenvolvemos serve para que façamos restrições, no Estado, de forma mais racional. Nunca prometemos que o Rio Grande do Sul estaria blindado contra o coronavírus devido à aplicação do modelo. A ideia é impormos restrições na proporção, no local e no momento em que forem necessárias, uma vez que a alternativa era restringir tudo, em todo o Estado, o tempo todo, o que parecia desproporcional”, explicou o governador.

A mudança da região de Santa Maria diz respeito a um atraso na alimentação do sistema. Quando os dados foram contabilizados, na última sexta-feira (12/6), não havia ainda o registro de sete leitos vagos na região. O dado alterou o resultado do modelo, que concluiu que havia déficit na oferta de atendimento hospitalar nos 32 municípios da região de Santa Maria. Depois da ponderação de prefeitos e da análise do Gabinete de Crise, a região de Santa Maria foi recolocada na bandeira laranja, que representa risco epidemiológico médio para o coronavírus.

Na região de Santo Ângelo, o que culminou no retorno à bandeira laranja é o fato de, dos 15 casos computados de hospitalizações por Covid-19, cinco pertencerem à semana anterior. Além disso, ao observar a curva de casos na macrorregião Missioneira, onde se localiza a região de Santo Ângelo, percebe-se uma estabilidade no número de internações.

Por outro lado, as regiões de Caxias do Sul e de Uruguaiana seguiram com bandeira vermelha. Em Uruguaiana, mesmo com a inserção de sete leitos da macrorregião, o número não é suficiente para que o cálculo aponte mudança na classificação final de bandeira.

A região de Caxias do Sul, por sua vez, vinha apresentando estabilidade no mês de maio. Entre a semana retrasada e a passada, porém, subiu de 23 hospitalizações confirmadas para Covid-19 para 63, um aumento de 174%. O número de internados em leitos de UTI Covid subiu de 31 para 44, um aumento de 42%. “Vemos uma tendência de aumento de casos na Serra gaúcha. Não houve dados suficientes para que se alterasse a bandeira”, explicou o governador.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *