Faixa Atual

Título

Artista


Feriado e tempo bom leva caxienses a parques, mesmo contrariando decreto de isolamento

Escrito por em maio 1, 2020

Reportagem da Solaris 99.1 FM esteve novamente no parque dos Macaquinhos na tarde desta sexta-feira. Muito movimento e desrespeito ao uso de máscara foram notados

Embora todas as restrições, com decretos para evitar aglomeração de pessoas e respeitar o isolamento social, o uso de máscara como forma de evitar a disseminação do novo coronavírus, mais uma vez os parques e praças de Caxias do Sul registraram muito movimento neste feriado do Dia do Trabalho. O tempo bom e a angústia de ficar em casa colaborou para que famílias, casais ou até mesmo pessoas sem companhia, saíssem dos seus lares para dar uma caminhada, jogar futebol na quadra, andar de bicicleta, de skate, levar os filhos para brincar no parquinho, tomar chimarrão ou até mesmo passear com seu cão de estimação.

Futebol na quadra na tarde desta sexta-feira

No parque dos Macaquinhos, a reportagem da Rádio Solaris 99.1 FM esteve nesta sexta-feira conferindo a movimentação a exemplo do dia 20 de abril. Em comparação com aquele domingo também ensolarado de outono o fluxo de pessoas era bem maior neste feriado. Novamente se percebeu que o uso da máscara não está sendo respeitado, além do não cumprimento do isolamento social. Agora, a partir de segunda-feira, dia 4, a prefeitura decretou que quem for flagrado sem o equipamento poderá pagar multa de até R$ 172,00.

Uso de máscara não foi respeitado neste feriado nos Macaquinhos

Aliás, a maioria dos entrevistados é a favor da medida que será implantada, mas as opiniões divergem no seu resultado. Como o caso do eletromecânico Luciano Mailan, 45 anos, que levou o filho para passear de bike enquanto assistia o futebol na quadra, sem máscara. Segundo ele, a ideia é fazer com que as pessoas tenham o dever de usar. “Sempre uso (máscara), mas hoje (sexta) esqueci de trazer, mas tenho várias em casa. A prefeitura pode até tentar fiscalizar, mas acho difícil. Alguma multa deve ser aplicada até para servir de exemplo”, defende.

Também sem máscara, o vendedor Matheus Scariot, 27 anos, conta que estava entediado sozinho em casa e aproveitou o feriado para levar a cachorrinha a dar uma volta no parque. Ele apoia a decisão da prefeitura e acredita que dará certo porque haverá multa para quem descumprir a medida. “ Quando pesa no bolso a história é outra. Se não, não iria rolar”, afirma.

Matheus levou a cachorrinha para passear no parque nesta tarde

Embora não goste de usar a máscara, apesar de estar com ela no banco do parque, a administradora Arlete Perine, 46 anos, aproveitou que está sozinha no final de semana e saiu para aproveitar o sol de outono para tomar um chimarrão e espantar a angústia de ficar em casa. Ela entende que a prefeitura está certa em adotar esta medida.” É uma forma de proteção e uma maneira das pessoas se conscientizarem, embora eu não goste de usar”, confessa.

Arlete admite que não gosta de usar a máscara, mas que é necessário

De máscara, a advogada Paulo Musinski, 33, que levou o filho para brincar, diz que muitas pessoas ainda não têm noção do problema e que o uso obrigatório do equipamento só trará benefício. “É uma medida barata e não traz problemas. Vi moradores de rua usando e, se eles podem, porque nós não?”, pergunta. A amiga Cibele Stopazoli, defensora pública, também de máscara, e que também trouxe a filha, entende que será difícil fiscalizar. “Estudos demonstram que uso de máscara é fundamental. Difícil será executar a multa depois”, salienta.

Paula (e) e Cibele levaram os filhos para brincar no parque

Funcionário de uma empresa no ramo de alimentação, mas agora trabalhando em sistema de home office, Jonathan, 37 anos, levou a esposa e o filho para o parque. Na opinião dele a medida da prefeitura é mais de orientação do que multar. “Acho que é para botar um pouco de medo na população. Acho importante que se use máscara para quem trabalha em local fechado e comércio onde há aglomeração de pessoas, mas nas ruas acho subjetivo. Não existe um consenso que a máscara é 100% efetiva”, afirma.

Veja vídeo abaixo do movimento neste feriado no parque dos Macaquinhos

Jediel Gomes, 29 anos, motorista de aplicativo, diz que o fez sair de casa foi o filho Rithiell, 9 anos, que mora com a mãe, para brincar no parquinho. No entender dele, o uso obrigatório de máscara já deveria ter ocorrido em Caxias do Sul. “Acho esta decisão tarde demais. Isso deveria acontecer desde o começo. A população vai se cuidar mais, porque ninguém quer ficar mais em casa”, comenta.

Jediel levou o filho Rithiell, 9 anos, que mora com a mãe

O casal Cristiano Peres, 40 anos, e Juliana Borges, 31, levaram os filhos Cauê, 13, e Izabelle, 8, para brincar, porque ficam cansados de ficar em casa, já que as aulas são somente online no momento. Profissional da saúde, ela diz que muitos ainda não estão conscientes do novo coronavírus. “Todos têm que tomar os cuidados necessários, fazendo quarentena e usando máscaras”, destaca.

Até esta sexta-feira, segundo a Secretaria Municipal da Saúde, Caxias do Sul apresentava 56 casos positivos do covid-19, sendo 39 curados, 14 em isolamento domiciliar e três em UTI.

Fotos: Rogério Costanza/Grupo Solaris

Cristiano e Juliana com a família no parque

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *