Faixa Atual

Título

Artista


ERS 122 pede socorro (parte 1)

Escrito por em julho 22, 2020

Nessa primeira parte percorremos os cerca de 35 quilômetros sentido Vacaria

A importante rodovia que escoa a produção industrial e agrícola do Rio Grande do Sul para o centro do país, ou faz o caminho inverso trazendo mercadorias, expõe os usuários ao perigo.

No decorrer dos últimos anos muito pouca manutenção foi realizada na ERS 122, em consequência acidentes registrados e vidas ceifadas foram engrossando as estatísticas de mortes no trânsito.

Nessa primeira parte de nossa aventura, percorremos os cerca de 35 quilômetros que ligam Antônio Prado ao trevo da BR 116. Falta de acostamento, falta placas de sinalização e grandes crateras fazem com que caminhões e automóveis desviem pela contra mão paras evitar danos maiores aos veículos. Em muitos locais é impossível de desviar, ficando difícil até a redução de velocidade, ou como dizem os caminhoneiros, (tenta desviar de um pequeno, cai num grande”).

Restos de pneus, peças de automóveis são vistas com frequência as margens da rodovia, quando essas não estão ocultas pelo mato, que cresce ao longo de todo o trecho.

No km 160, em Campestre da Serra, quase entroncamento com a BR 116, conversamos com o proprietário da Tenda do Beleza, Miguel Nogueira Soares, 65 anos, e nos relatou sobre diversos acidentes e auxilio que presta aos usuários, não só caminhoneiros, mas automóveis também.

Recentemente a esposa d de Miguel, Roberta Rabelo Maciel acionou o Ministério Público solicitando providencias junto ao DAER.  Por sua vez, a promotoria solicitou esclarecimentos do DAER, que em resposta disse ter realizada Operação Tapa Buracos entre os dias 16 e 17 de junho, enviando inclusive fotografias.

Dessa forma o Ministério Publico entendeu como “Razoáveis” as providências tomadas pelo órgão, arquivando assim o processo.

Durante o trajeto percorrido nessa terça-feira (21) podemos constatar alguns reparos em um pequeno trecho entre Antônio Prado até a Vila Damiani, em Ipê. A partir desse ponto o descaso é impressionante, mesmo com o intenso de caminhões e automóveis.

Mostramos nessa reportagem alguns pontos críticos da rodovia estadual. Em muitos locais não foi possível fotografar por questão de segurança, pois parte da unidade móvel ficava sobre a pista.

Entramos em contado como o responsável pelo órgão em Bento Gonçalves, Engenheiro Luiz Leal, que nos retornou dizendo: Por questão de isonomia toda e qualquer demanda de cunho jornalístico deve ser enviado a ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL – ACS.  9º andar (51) 3210-5247 – Comunicação (51) 3210-5005 – Imprensa.

Em contato com a Assessoria de Imprensa do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem – DAER, ainda na tarde de terça-feira (21), recebemos a seguinte resposta:

Nesta semana, a 2ª Superintendência Regional do Daer de Bento Gonçalves iniciou, por meio de administração direta, uma operação emergencial de tapa-buracos na rodovia. Demais melhorias serão realizadas assim que for repactuado o contrato de conserva da regional, o que deverá acontecer ainda neste semestre. 

Reportagem e Imagens/Jornalista Ronei Marcilio


Opnião dos Leitores
  1. Paulo Roberto Andrigjetti   Em   julho 22, 2020 em 5:30 pm

    É lamentável. E o pior é que no trecho pedagiado também há muitos buracos. E ontem vi operação tapa buracos. Uma estrada pedagiada nestas condições é uma vergonha. O Daer tem que ser extinto.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *