Faixa Atual

Título

Artista


Economia de Caxias do Sul tem queda de 24% em abril

Escrito por em junho 23, 2020

Números foram divulgados nesta terça-feira por videoconferência pela CIC e CDL

Como já era esperado, as restrições às atividades econômicas impostas com o objetivo de conter o avanço do coronavírus tiveram forte impacto no desempenho da economia de Caxias do Sul no mês de abril. A queda geral foi de 24,3%, com indústria, comércio e serviços amargando um de seus piores resultados dos últimos anos. Os números foram apresentados nesta terça-feira, dia 23, por videoconferência, pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC Caxias) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).

Já o comércio, em relação a abril de 2019, teve uma queda de 40,51%. Em março, o desempenho da economia de Caxias do Sul havia apresentado um crescimento de 2,4% em relação a fevereiro, não refletindo ainda os prejuízos causados pela crise da pandemia de coronavírus. Abril, porém, o faturamento das empresas foi fortemente impactado. A indústria registrou uma queda de 25,5%, o comércio, de 27,8%, e os serviços, de 20,3% em relação a março deste ano. Em comparação a abril do ano passado, a queda foi de 28,6%. Com isso, o acumulado do primeiro quadrimestre deste ano mostra uma redução de 7,5%.

Empregos

O mês de abril de 2020 registrou um dos maiores desempenhos negativos de toda a série histórica do levantamento da CIC Caxias e CDL, com 5,1 mil demissões. A paralisação de diversas atividades comprometeu o mercado de trabalho. No mês avaliado, o estoque de empregos foi de 147,5 mil, e, no acumulado do ano, foram fechados 3,1 mil empregos com carteira assinada.

Mercado externo

Os dados indicam que o saldo da balança comercial de Caxias do Sul em abril teve queda de 26% em relação ao mesmo mês do ano anterior Exportações e importações caíram na comparação entre março e abril deste ano. Mesmo assim, o saldo da balança comercial neste comparativo cresceu 61,5%. Houve um aumento das importações provenientes da China e da Alemanha, na relação entre 2019 e 2020, enquanto nas exportações destaca-se o que parece ser uma retomada das exportações para o mercado argentino.

Para o diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Astor Schmitt, os números estão postos e trazem duas preocupações: a perda de 36 mil empregos formais em Caxias do Sul entre os anos de 2013 e 2020 e a queda da competitividade da indústria caxiense no mercado internacional. Abril, segundo ele, foi o fundo do poço, mas a expectativa é de reversão do quadro.

CDL

Para o assessor de economia e estatística da CDL Caxias do Sul, Mosár Leandro Ness, os índices registrados em abril pelo comércio caxiense já eram esperados, por conta da paralisação das atividades provocada pelo coronavírus que iniciou dia 21 de março e seguiu até 17 de abril. “Abril foi um mês muito ruim. O comércio ficou fechado por praticamente 20 dias, levando em consideração que o varejo caxiense foi autorizado a abrir no dia 17 de abril, que era uma sexta-feira e véspera de feriado prolongado. Então, muitas empresas abriram apenas no dia 22. Esse tempo todo em que elas ficaram fechadas resultou neste desempenho negativo. No comparativo com março, que já havia sido ruim, abril foi ainda pior, algo que já era previsível por conta da paralisação”, explica o especialista.

Ness explica ainda que, mesmo que alguns segmentos da economia estivessem em funcionamento no período, não foi suficiente para segurar o rombo causado nos demais empreendimentos que estavam fechados. “Por exemplo, supermercados e postos de combustíveis, individualmente, cresceram no período. Mas nem a alta desses segmentos compensou os efeitos do impacto do fechamento do comércio no mês de abril”, lamenta o economista.

Foto: Ass.Imprensa CIC

Fonte: CIC e CDL

Para o diretor da CIC, Astor Schmitt, abril foi o fundo do poço: “Estimativa é de reversão”

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *