Grupo Solaris

DICA DE SAÚDE

Fake news da alimentação, tome cuidado com as dicas milagrosas

Quem nunca ouviu da vizinha, tia, avó, mãe que aquele chazinho resolveria o seu problema, ou se deparou com receitas que prometem resolver as doenças de uma forma barata, sem precisar ir ao médico ou fazer alguma cirurgia? E as receitas para emagrecer? Água morna com vinagre ou água com limão em jejum. As poções milagrosas são muitas. Mas sabe-se que perder peso para a maioria das pessoas não é uma tarefa fácil. É necessário mudanças de hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos com supervisão do profissional recomendado. É como o golpe do bilhete. É sabido que o dinheiro não vem fácil, é preciso trabalhar e se dedicar para adquiri-lo.  

Com as doenças acontece da mesma forma. É preciso ter muito cuidado com as notícias que recebemos nas redes sociais ou encontramos na internet.

Alguém pode questionar qual é o mal de ingerir, por exemplo, água com limão, que é uma fonte de vitamina C.  O perigo dessas receitas é outro: encorajar pessoas doentes a abandonarem o tratamento médico. O problema é tão sério que o Ministério da Saúde disponibiliza um número de WhatsApp (61) 99289-4640 para receber informações virais, que são apuradas e respondidas oficialmente como verdades ou mentiras. “Normalmente essas receitas não têm nenhum embasamento científico, saem da cabeça de pessoas leigas, e isso é um perigo por que elas não têm condições de entregar aquele milagre”, resume Marcella Garcez, nutróloga e diretora representante da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia) no Paraná. Embora a maioria das pessoas se encante com a possibilidade de tratar enfermidades com alimentos e receitas simples, seguir essas preparações mágicas é como dar um tiro no escuro para acertar a cura. “Quando se troca alguma medicação específica, que a ciência provou que é importante para o tratamento de uma doença ou prevenção, por uma receita dessas, é arriscado porque a gente não sabe o que aquilo pode causar tanto de bem quanto de mal”, alerta Mariana Melendez, professora doutoranda em nutrição humana na UnB (Universidade de Brasília).

Por isso, tome cuidado com as receitas milagrosas, não deixe de consultar seu médico e não substitua o tratamento indicado pelo profissional competente.

Fonte: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/10/29/nao-tem-magica-tome-cuidado-com-as-fake-news-da-alimentacao.htm

Sair da versão mobile