Faixa Atual

Título

Artista


Dezembro Laranja: dermatologista dá dicas de cuidado para prevenção ao câncer de pele

Escrito por em dezembro 10, 2020

Nádia Morussi concedeu entrevista à Rádio Solaris 97.3 nesta quinta-feira (10)

O câncer de pele é o mais frequente entre homens e mulheres e representa quase 30% de todos os tipos da doença. O Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva (Inca) estima 185.380 novos casos de câncer de pele melanoma e não melanoma por ano para o triênio 2020/2022, sendo 87.970 em homens e 97.410 em mulheres.

Nesta quinta-feira, a dermatologista Nádia Morussi concedeu entrevista à Rádio Solaris 97.3, trazendo informações sobre a prevenção ao câncer de pele. Conforme a especialista, é preciso estar atento à utilização do filtro solar, criando um hábito de utilizá-lo diariamente, pois as queimaduras ao longo da vida, desde criança, podem desenvolver o câncer de pele.

O câncer de pele melanoma geralmente é uma pinta que pode ou não ter sofrido alterações. O principal é ter uma avaliação de rotina com especialista para perceber se houve alguma alteração. O melanoma pode ocorrer em qualquer parte do corpo, inclusive em órgãos.

Ter uma rotina de acompanhamento é fundamental, principalmente para pessoas com pele, olho e cabelo claro. Não existem sintomas específicos, mas se a pessoa possui esses fatores de risco, é preciso haver uma rotina de acompanhamento.

Em relação à exposição ao sol, é importante, conforme Nádia, evitar o sol das 10h da manhã às 16h. O filtro solar pode ser aplicado pela manhã e após o almoço. Em locais de maior exposição, como na praia, ou mesmo para os agricultores no interior, o ideal seria aplicar a cada duas horas.

Além do filtro solar, é importante ter um cuidado em utilizar o chapéu, uma camiseta, especialmente de algodão, que protege mais, óculos escuros, entre outros.

O filtro solar deve ser aplicado conforme a pele da pessoa, ela definirá qual o fator de proteção. A alimentação e hidratação do corpo é importante, especialmente de outubro a março, quando a radiação está mais intensa.

Mais informações no site do governo federal

Confira a entrevista completa

Fonte: Grupo Solaris – Repórter Luiz Augusto Filipini


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *