Faixa Atual

Título

Artista


Confirmado caso de raiva em bovino em Nova Roma do Sul

Escrito por em julho 19, 2022

O animal não havia recebido nenhuma dose da vacina antirrábica, o que o tornou vulnerável ao contágio pela doença

Foi confirmado pelo Centro de Pesquisa em Saúde Animal do Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor (IPVDF) na segunda-feira (18), um caso positivo de raiva animal em um bovino que veio ao óbito na última quarta-feira (13).

O animal apresentava sinais da agressão por morcegos hematófagos, assim como os demais do lote que se encontravam na área localizada às margens do Rio da Prata, na divisa entre os municípios de Nova Roma do Sul e Veranópolis.

O animal não havia recebido nenhuma dose da vacina antirrábica, o que o tornou vulnerável ao contágio pela doença.

A Prefeitura de Nova Roma do Sul recomenda a vacinação de todos os animais suscetíveis a raiva (bovinos, bubalinos, equinos, muares, suínos, caprinos e ovinos) o que conterá a mortalidade de animais e evitar maiores prejuízos econômicos aos produtores rurais, visto que para a doença da raiva não há tratamento, sendo invariavelmente fatal uma vez iniciados os sinais clínicos.

“A vacinação é o melhor método de controle que temos para esta enfermidade. A vacina da raiva apresenta uma excelente eficácia, segurança e é muito barata frente aos prejuízos gerados,” orienta o médico veterinário da Prefeitura, Gustavo Martins Erhardt.

“A raiva é uma doença que tem prevenção através da vacina, porém após o aparecimento de sinais clínicos nos animais ela não tem cura e será fatal,” alerta o coordenador do Programa de Controle da Raiva Herbívora da SEAPDR, Wilson Hoffmeister.

Hoffmeister ainda explica que a preocupação é maior, pois a partir desta época, a população do morcego hematófago, transmissor do vírus causador da doença, aumenta:

Sobre a Vacinação

A vacinação é recomendada para animais a partir de 4 meses, atendendo o seguinte esquema vacinal:

-Animais que nunca foram vacinados, devem ser imunizados com duas doses da vacina (sendo a segunda de 28-30 dias da primeira), repetindo anualmente a vacinação destes animais;

-Animais previamente vacinados, recomenda-se a aplicação de uma dose anualmente.

Vigilância

É importante que os proprietários fiquem atentos para a ocorrência de novos casos suspeitos, agressões de morcegos em animais de suas propriedades ou localização de abrigos de morcegos e contatem imediatamente a Prefeitura Municipal e o Posto Veterinário através do telefone (54) 3294-1005.


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *