Faixa Atual

Título

Artista


Com mudança da bandeira na Serra Gaúcha, Antônio Prado seguirá a cor laranja

Escrito por em agosto 4, 2020

Definição foi tomada pelo Comitê de Crise do governo após pedido de revisão

Na segunda-feira (3), o governador Eduardo Leite deferiu o pedido enviado por representantes da Serra Gaúcha solicitando a mudança da bandeira de vermelha para laranja.

Cerca de uma hora após a definição da serra em bandeira laranja, a Secretaria Municipal da Saúde de Antônio Prado confirmava novos oito casos de coronavírus, com o total alcançando 60 infectados. Já o número de recuperados segue em 25. Mesmo com uma situação delicada e que inspira cuidados, por pertencer a macrorregião da Serra Gaúcha, Antônio Prado também adotará os procedimentos da bandeira laranja.

De acordo com informações da direção do Hospital São José, a instituição de saúde tem dois pacientes internados na ala específica para Covid-19. Na segunda-feira (4), havia um suspeito internado, que acabou tendo resultado do exame positivo e segue em internação. Ainda durante a segunda, houve outra hospitalização por suspeita.

Protocolos da bandeira laranja

Não podem abrir

Restaurantes de autosserviço;

Instituições de ensino: as atividades presenciais da Educação Infantil e ensinos Fundamental, Médio e Superior seguem proibidas;

Casas noturnas, bares e pubs;

Parques temáticos e similares;

Eventos em ambiente fechado ou aberto.

Podem abrir com restrições

Administração Pública: serviços não essenciais podem atuar com 50% de trabalhadores;

Centro de Formação de Condutores (CFCs), com 75%;

Agropecuária: agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura podem atuar com 100% de trabalhadores;

Alimentação: restaurantes à la carte, prato feito e bufê sem autosserviço (inclusive em beiras de estrada), lanchonetes e padarias podem atender com 50% de trabalhadores;

Alojamento: hotéis e similares podem operar com 50% dos quartos, com exceção dos de beira de estrada, que podem utilizar 100% dos quartos;
Comércio:

50% dos trabalhadores:

De veículos, manutenção e reparação de veículos, atacadista e varejista não essencial (todos com presença de público restrita). Centros comerciais e shoppings podem atender com lotação de 50% e monitoramento de temperatura;

75% dos trabalhadores:

Atacadista e varejista de itens essenciais, varejista de produtos alimentícios (mercados, açougues, fruteiras, padarias e similares) e postos de combustíveis (vedada a aglomeração);

Educação:

Autorizadas atividades práticas essenciais para conclusão de curso: pesquisa, estágio curricular obrigatório, laboratórios e plantão dos ensinos Médio e Superior, com 50% dos trabalhadores e 50% dos alunos e monitoramento de temperatura;

Escolas de idiomas, música, esportes, dança, artes cênicas, arte, cultura, formação profissional e continuada, cursos preparatórios para concursos, treinamentos e similares também podem operar com a mesma carga;

Indústria

75% dos trabalhadores:

Serviços de construção, extração de carvão, petróleo e gás (com monitoramento de temperatura), fumo, têxteis, vestuário, couros, calçados, madeira, impressão, derivados do petróleo, químicos, borracha, plástico, metalurgia, equipamentos de informática, materiais elétricos, máquinas e equipamentos, veículos, móveis, produtos diversos, manutenção e reparação;

100% dos trabalhadores:

Alimentos, bebidas, papel e celulose, farmoquímicos e farmacêuticos (com monitoramento de temperatura);

Serviços:

100% dos trabalhadores:

Funerárias e pesquisa científica e laboratórios (pandemia);

75% dos trabalhadores:

Assistência veterinária, bancos, lotéricas, vigilância, segurança, serviços para edifícios (limpeza e manutenção);

50% dos trabalhadores:

Parques e reservas naturais, jardins botânicos e zoológicos (25% do público), reparação e manutenção de objetos e equipamentos, lavanderias, organizações sindicais, imobiliárias (presencial restrito), serviços de contabilidade, auditoria, consultoria, engenharia, arquitetura, publicidade, call-center, faxineiros, cozinheiros, babás, motoristas e jardineiros.

25% dos trabalhadores:

Teatros, cinemas, casas de espetáculo (exclusivo para captação audiovisual). Museus, bibliotecas, arquivos, ateliês e MTGs podem operar por atendimento individualizado e agendamento. Academias (16m² por pessoa), clubes sociais e esportivos (para atletas profissionais e amadores, sem público), clubes profissionais de futebol (jogos sem público), missas (25% de público), serviços de cabeleireiro e barbeiro, petshop, agências de turismo, passeios e excursões.

Confira o pedido de reconsideração que foi encaminhado pela Amesne durante o final de semana

Fonte: Grupo Solaris – Repórter Luiz Augusto Filipini.


Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *