Faixa Atual

Título

Artista


Caxias pretende ampliar número de hortas comunitárias no município

Escrito por em dezembro 23, 2021

As hortas comunitárias geralmente são instaladas em espaços ociosos, que antes da horta eram utilizados irregularmente para depósito de entulhos e lixos

A lei que institui o Programa Municipal de Agricultura Urbana foi sancionada na última sexta (17). A legislação tem por objetivo utilizar áreas urbanas para o cultivo de hortaliças, plantas medicinais, mudas e alimentos. Serão usadas áreas urbanas, de propriedade pública ou privada, cedidas temporariamente.

O programa de Horta Comunitária existe desde 2007, quando foi instalada a primeira no bairro Colina do Sol, porém ainda não havia a regulamentação. Com a sanção da lei, existe a possibilidade de novas hortas comunitárias. Já foi iniciada a abertura de uma segunda horta no bairro Belo Horizonte, onde 21 famílias foram cadastradas, são famílias em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar. Na do Colina do Sol são 73 famílias cadastradas, e a horte tem 4,53 hectares.

“A horta comunitária possibilita uma complementação da alimentação das famílias cadastradas, possibilitando também o acesso a uma alimentação mais saudável, considerando que atualmente as hortas, as famílias que estão cadastradas nessas hortas, se encontram em situação de insegurança alimentar”, explica Luana Mugnaga, assistente social e gerente de Segurança Alimentar da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA).

Na última semana, a equipe técnica da Secretaria realizou a divisão dos canteiros para 21 famílias cadastradas na horta comunitária do Belo Horizonte e nesta segunda (20.12), foi realizado um mutirão de limpeza para iniciar o plantio.

As hortas comunitárias geralmente são instaladas em espaços ociosos, que antes da horta eram utilizados irregularmente para depósito de entulhos e lixos. “Então se percebe que, além da alimentação mais saudável, a horta traz um benefício muito grande para toda a comunidade onde aquela horta está inserida. Deixa de ser um depósito de lixo para ser uma área onde tem culturas sendo cultivadas e deixa o espaço todo muito mais bonito para toda a comunidade”, complementa Luana.

Para 2022, a SMAPA está construindo um cronograma de atividades e deverá oferecer cursos e palestras alinhados às necessidades das comunidades, a exemplo do curso de aproveitamento de alimentos, manejo do solo e utilização de chás medicinais, já ministrados.


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *