Faixa Atual

Título

Artista


Escritora Adolescente de Ipê lança seu primeiro livro

Escrito por em maio 14, 2020

Luísa acredita que os leitores de todas as idades se identificarão com as histórias

Engana-se quem pensa que os adolescentes só consomem literatura estrangeira, e que tem como ídolos apenas figuras como o bruxo Harry e os vampiros da série Crepúsculo, da americana Stephenie Meyer.

Já há alguns anos a jovem Luísa Simioni Righez, 15 anos, filha de agricultores ecologistas, começou a fazer seu próprio livro, Imaginação em Palavras.

Para Luiza, a identificação dos leitores com as histórias podem ser de jovens de 08 aos 80, não só o público juvenil, “eles terão aquela sensação de que o que acontece no livro poderia acontecer ou aconteceu com eles também” opina a autora.

No começo eram apenas contos, poesias e crônicas no caderno de uma adolescente, que um dia resolveu juntar e fazer esse livro.

Para Luiza a melhor parte do ato de escrever é poder por no papel as ideias que quer transmitir.

Em todos os contos, poesias e crônicas Luiza revela que há uma pitada de realidade que faz com que as pessoas reflitam coisas que acontecem no dia a dia.

Luísa também foi a criadora da imagem que ilustra a capa e as páginas do livro.

Imaginação em Palavras foi lançado pela editora Clube dos Autores e pode ser encontrado: em Ipê na Ideartes, Bazar da Jô, Sindicato dos trabalhadores da Agricultura Familiar e Cooperativa Econativa.

Em Antônio Prado na Livraria Mister Jú e Livraria do Aluno.

Luísa Simioni Righez nasceu e mora até hoje na localidade de Vila Segredo, em Ipê. Filha de Juarez Righez e Lucila Simioni Righez, estudou até o 9º ano na Escola La Salle, na vila. A partir desse ano passou para o ensino médio, necessitando vir até Ipê para estudar na Escola Estadual Frei Casemiro Zafonatto.

Luísa esteva na Rádio Solaris nesta quarta-feira, 13 de maio, onde apresentou seu trabalho.

A seguir, um dos trabalhos de Luísa escrito em 2019:

MEU ENGANO

Me engano em dizer que não tenho medo, porque só digo isso por ter medo do próprio medo. Me engano em dizer que sou muito corajosa, que não tenho medo algum, porque a coragem é enfrentar o medo que se tem.

Me engano em dizer que certo alguém é medroso, simplesmente por ter medo de várias coisas, porque talvez eu nunca tenha visto esse alguém enfrentar um medo antigo.

Me engano em dizer que as pessoas não têm coragem, por que posso dizer isto simplesmente por eu mesma não ter coragem.

Me engano em dizer que ter medo de ter medo é bobagem, por que talvez eu não tenha coragem de ter coragem.

Me engano em dizer que o medo está na cabeça de todos, porque apenas os mais corajosos temem a coisas que não existem.

Me engano em dizer que o medo é um intruso na vida, porque sem ter nada para enfrentarmos não teríamos um propósito.

Me engano em dizer que há alguém no mundo que não tenha medo, porque os corajosos têm medo de perder a coragem.

Me engano em dizer que nascemos com a coragem, porque para ter coragem é necessários termos o medo primeiro.

Me engano em dizer que possuímos o medo, porque é o medo que nos possui, mas é a coragem que possuímos.

Me engano em dizer que o medo é só temer, porque o medo é também uma desculpa para conseguirmos algo.

Me engano em dizer que a pessoa que tem menos medo é a mais corajosa, porque quanto menos medos temos, temos também menos coragem.

Me engano em dizer que medo e coragem são antônimos, porque um depende do outro para existir.

Meu engano é pensar que podemos viver sem o medo e a coragem, porque, sem eles, não teríamos como enfrentar o mundo.

                                                                              (Imaginação em Palavras, 2019)

Jornalista Ronei Marcilio


Opnião dos Leitores
  1. Élen Righez Fortunato   Em   maio 14, 2020 em 9:56 pm

    Excelente matéria!
    Traz esperança, uma vez que temos notícias boas da juventude que, a exemplo da Luísa Simioni Righez, trilha um rumo melhor e promissor pra o mundo com a construção de obras tão maravilhosas tal como o livro da jovem autora.
    Parabéns para a Luisa e ao jornalista Ronei Marcelino.

  2. Maria Bastos   Em   maio 17, 2020 em 10:54 am

    O livro da autora Luísa, é de leitura fácil, desperta a curiosidade e instiga a imaginação. Muitos contos que nos faz pensar no verdadeiro valor nas coisas mais singelas.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *