Faixa Atual

Título

Artista


Autor de feminicídio é preso pela Brigada Militar de Antônio Prado

Escrito por em dezembro 8, 2021

A mulher estava desaparecida desde a última quinta-feira (02)

Após receber informações do setor de inteligência, a Brigada Militar de Antônio Prado prendeu o autor de um feminicídio ocorrido na cidade de Concórdia em Santa Catarina. A prisão aconteceu no km 128 da ERS 122, por volta das 22h desta terça-feira (07). A informação dava conta que o criminoso estaria circulando na rodovia a bordo de um veículo Logan.

O referido veículo foi avistado próximo à divisa com Flores da Cunha, no km 110, onde iniciou o acompanhamento com sinais luminosos e sonoros, porém, o condutor não obedecia à ordem de parada. Após cerca de 18 km de acompanhamento, sentido Antônio Prado, a guarnição conseguiu abordar o veículo e o condutor foi identificado.

Com base nas informações recebidas do setor de inteligência, os policiais iniciaram o questionamento. Perguntado sobre o paradeiro de sua ex-companheira, em que foi notado o nervosismo do indivíduo.

Percebendo que havia sido descoberto, o indivíduo empreendeu fuga ao mato, em região de difícil acesso, com mata densa e terreno acidentado. Os policiais iniciaram a perseguição e conseguiram deter o homem, que ofereceu resistência, mesmo estando dominado e ao solo, tentou evitar entregar as mãos para ser algemado. Com uso da técnica policial, foi possível a contensão, imobilização e condução a Delegacia para registro e demais esclarecimentos.

O veículo foi recolhido ao guincho e passa por perícia com luminol.

Posterior, em conversa com o delegado, o homem confessou que matou a companheira e arremessou o corpo em um rio, com uma pedra amarrada ao corpo. O autor, de 34 anos, com antecedentes por perturbação de sossego, segue preso. A mulher de 35 anos, esta desaparacida desde a última quinta-feira (02). Em contato com colegas da Rádio Rural, de Concordia, o delegado que investiga o caso já solicitou a prisão preventiva e o preso será transferido para a cidade. Lá ele deve ser interrogado e confesar aonde jogou o corpo.

Comunicação Social do 36º Batalhão de Polícia Militar


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *