Faixa Atual

Título

Artista


Assassino de vó e neta em São Marcos diz que não se arrepende de crime

Escrito por em julho 1, 2020

Desavença com o pai da adolescente seria o motivo do duplo homicídio que chocou o município da Serra na última sexta-feira

Durante coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira, 1º de julho, no auditório da prefeitura de São Marcos, a Polícia Civil deu detalhes do depoimento de Leandro Daniel Hoffmann, 31 anos, assassino confesso de Irene da Fonseca, 67 anos, e de sua neta Kauana Santos, 16. O crime que chocou o município serrano ocorreu na noite da última sexta-feira em uma chácara na localidade de Linha Marechal Deodoro, interior de São Marcos. Além disso, o homem colocou fogo na casa após ter matado a tiros a idosa.

Segundo a polícia, Hoffman depois atirou em Kauna e fugiu com ela para o mato. Após, fugiu a pé para o distrito caxiense de Vila Oliva, 70 quilômetros do local do duplo homicídio. Conforme depoimento prestado ainda nesta terça-feira, dia 30, quando foi preso no meio do mato em Vila Oliva, quando tentou fugir da polícia durante a tarde, Hoffmann afirma que a motivação seria uma desavença com o pai de Kauana, o qual ele acreditava que também estivesse na residência no momento do crime, já que o carro estava na garagem. O veículo também foi queimado.

Hoffmann teria invadido a residência e entrado em discussão com a idosa que iniciou luta corporal com o criminoso< Nesse momento a adolescente e o irmão de 7 anos saíram para se esconder. Ao ouvir o disparo contra a avó, Kauana teria retornado no intuito de socorrê-la. O menor conseguiu escapar e viu quando a irmã foi arrastada para o mato.

Kauana conseguiu fugir do criminoso mas foi alvejada com dois tiros. Depois, o assassino confesso pegou a adolescente e colocou dentro de um riacho que fica a cerca de 300 metros de distância da residência, com diversas pedras sobre o corpo, impedindo-o de boiar, e em seguida ateou fogo no sofá da casa e fugiu pelo mato. “Não é descartada a hipótese de que possa ter havido crime sexual, porém, apenas exames periciais vão poder apontar o fato”, diz o delegado regional Paulo Roberto que participou da coletiva.

Conforme o delegado Edinei Albarelo, Hoffmann conhecia bem a área uma vez que era caseiro da chácara. No local ele buscava abrigo na casa de um conhecido que lhe daria serviço. Segundo a polícia, ele não demonstrou qualquer tipo de arrependimento ou ressentimento pelos seus atos. Na terça-feira à noite quando foi preso, ele indicou o local exato onde estava o corpo da adolescente. “Mostrando-se totalmente frio ao fato”, disse o delegado Albarelo.

Uma mulher de 27 anos, presa na segunda-feira, cujo nome não é revelado, mas liberada nesta terça, é esposa de Leandro Hoffmann e conforme o depoimento dela, o marido tem o hábito de beber e os dois teriam brigado naquela sexta-feira e ela foi mandada embora da casa. “Alterado, ele pegou uma carabina de pressão adaptada para uma espingarda calibre .22 e foi até a casa do vizinho para resolver o suposto problema”, diz Albarelo, que nega que a mulher tenha envolvimento no crime.

Ambas as famílias moravam há menos de dois meses na propriedade rural.  “Ele disse que ingeriu bastante bebida alcoólica. A versão dele é que já havia um atrito com o vizinho (pai de Kauana), algo sobre ter “olhado torto”. Por isso, foi tirar satisfações. Mas nunca houve uma desavença entre eles. Tanto que o pai não relatou nada no seu depoimento”, afirma Albarelo.

Gaúcho de São Leopoldo, Hoffmann estava foragido da justiça de Capanema, interior do Paraná, acusado de ter matados dois irmãos em 2015. O duplo homicídio também ocorreu em uma área rural. O homem está preso e será indiciado por duplo homicídio qualificado, ocultação de cadáver e incêndio criminoso.

Fonte: Informações da Rádio Diplomata de São Marcos

Foto: Raiane Martininghi / Rádio Diplomata

Delegado Paulo Rosa (e) e Edinei Albarelo (d) na coletiva de imprensa nesta quarta-feira

Opnião dos Leitores

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *