Faixa Atual

Título

Artista


Apesar das fortes geadas, ainda é prematuro avaliar perdas na agricultura Pradense

Escrito por em agosto 2, 2021

Frutas como o pêssego, por exemplo, precisa de aproximadamente 500 horas de frio, a maçã, cerca de 600 horas, já a uva, entre 200 e 300 horas

As fortes geadas registradas nos últimos dias geram uma certa apreensão em relação a possíveis prejuízos na agricultura.

Conforme informações do técnico agrícola, da Emater de Antônio Prado, Neudi Balancelli, “Ainda é prematuro avaliar se haverá alguma perda, para isso, são necessários mais uns 15 dias,” comentou.

Atualmente, as chamadas frutas do cedo estão na fase do desenvolvimento das flores, período mais resistente à perdas. Balancelli avalia que podem ocorrer perdas de flor, mas isso não necessariamente acarretará em perda de produção. A ocorrência de neve não atrapalha as culturas, a menos que o fenômeno ocorra de forma muito intensa e em vários dias consecutivos, o que poderia sufocar as plantas.

Vários agricultores adotaram o sistema anti-gelo, com irrigação para manter as culturas molhadas, impedindo a ação da geada nos frutos. Por outro lado, as culturas como pêssego, uva e maçã, que estão em fase de dormência, necessitam do frio e da geada para o processo interno.

o técnico informa que, o pêssego, por exemplo, precisa de aproximadamente 500 horas de frio, a maçã, cerca de 600 horas, já a uva, entre 200 e 300 horas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Antônio Prado


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *