Faixa Atual

Título

Artista


Antônio Prado 122 anos: O desenvolvimento ligado através das montanhas

Escrito por em fevereiro 16, 2021

Ponte sobre o Rio das Antas foi um dos marcos para o município

Ao passarmos sobre ela, podemos contemplar a bela paisagem que a formação rochosa da região serrana possui, mesclado com o verde das matas que parecem ser um sorriso aberto pronto para ser contemplado por qualquer um sem nenhum preço a pagar. São momentos possíveis de serem desfrutados para quem trafega na ponte Passo do Zeferino, que liga os municípios de Antônio Prado e Flores da Cunha.

A iniciativa de desbravar o local partiu após a abertura do Passo do Simão através da ação particular dos imigrantes que chegaram no atual território Pradense no século XIX. Inicialmente a travessia era realizada por meio de balsa. Para batizar o progresso que chegava através da ponte, foi dado a ela o nome de Passo do Zeferino, em referência ao primeiro balseiro encarregado do transporte, um imigrante italiano chamado Zeferino.

O problema da travessia por balsa era que, nos períodos de muita chuva o rio não dava passagem, deixando o tráfego interrompido.

A estrada Passo do Simão foi, em poucos anos, substituída pela Passo do Zeferino, a atual ERS-122. A ação foi motivada por moradores e a nova estrada tornava-se a principal via de ligação com o grande polo da região, Caxias do Sul, além dos demais municípios da região nordeste gaúcha.

Mas a ideia de construir uma ponte no local seguia, com intenso trabalho dos prefeitos e intendentes da região em prol da causa. Já durante a administração de Leonel Brizola, a imprensa de modo geral destacava e anunciava a construção da ponte.

O início das obras foi lançado através da pedra fundamental da ponte, com a presença de autoridades locais e estaduais, em 20 de abril de 1958. Porém, o desenvolvimento ainda precisava esperar, afinal, as obras propriamente ditas não iniciaram.

Passaram-se sete anos até que, durante o governo de Ildo Meneghetti, em 1965, a construção era iniciada a cerca de 100 metros acima do nível do rio. A realidade do Estado não era tão diferente da atual, já se viviam dificuldades financeiras e, para que a obra da ponte não tivesse uma nova pausa, o empresário e político Valdomiro Bocchese avalizou a continuidade da construção fornecendo material e hospedando a equipe técnica.

Em 1968, no dia 2 de junho, a reivindicação de aproximadamente seis décadas era inaugurada: a Ponte Passo do Zeferino, na ERS-122, entre Antônio Prado e Flores da Cunha. Uma missa solene foi realizada pelo bispo Dom Benedito Zorzi na Praça Garibaldi e posteriormente um almoço ocorreu na comunidade da Gruta (Nossa Senhora de Lourdes). À tarde, a obra foi oficialmente inaugurada pelo governador Walter Peracchi Barcelos e autoridades locais, bem como a benção do bispo de Vacaria, Dom Henrique Gelain.

Em 2007, pelos relevantes serviços prestados para que a obra não parasse, a ponte ganhou o nome de Valdomiro Bocchese, através de lei da autoria do então deputado estadual Francisco Appio.

Passados 53 anos, a ponte se tronou fundamental para o desenvolvimento econômico de Antônio Prado, afinal, por ela passam diariamente os mais diversos produtos.

Fontes: Livro Antônio Prado e Sua História- autor Fidélis Dalcin Barbosa / Arquivo pessoal Nilo Bortoloto / Grupo Solaris – Repórter Luiz Augusto Filipini


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *