Faixa Atual

Título

Artista


Trata-se da laranja sanguínea, variedade originária da Índia e de países do Mediterrâneo

O agricultor Rafael Potter de Vila Cristina, distrito de Caxias do Sul, está apostando em uma fruta ainda pouco conhecida pela comunidade: a laranja com polpa avermelhada. Na cidade, Rafael é considerado um dos pioneiros na produção da fruta em escala comercial.

A colheita da fruta está a todo vapor na propriedade da família de Potter. Segundo ele, a laranja vermelha está obtendo ótima procura na Ceasa de Porto Alegre, onde a fruta é comercializada frequentemente.

Há alguns anos, sempre em busca de novidades, o agricultor obteve duas mudas que acreditava serem da variedade ‘Cara Cara’ – uma espécie de laranja de umbigo de polpa vermelha. – Porem, na primeira safrateve uma surpresa. “Vi que a fruta era avermelhada, porém um pouco menor, adocicada e suculenta, meio laranja do céu, meio laranja para suco”, conta Potter.

A família decidiu apostar na novidade. Por meio da técnica da enxertia, o produtor rural “transformou” as duas mudas iniciais em duzentas laranjeiras. Na primeira produção do novo pomar, em 2021, colheu 700 quilos da variedade. Neste ano, a safra subiu para cerca de 2 mil quilos. Rafael Potter trabalha com os três filhos, com idades entre 18 e 26 anos. Segundo ele, todos estão muito animados com os resultados.

De acordo com os técnicos da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SMAPA), a variedade produzida pela família Potter é a “laranja sanguínea”, originária da Índia e de países do Mediterrâneo. “Segundo estudos da Universidade Estadual de São Paulo, a laranja vermelha é uma ótima fonte de substâncias que combatem a ação dos radicais livres e reduzem riscos de doenças cardiovasculares”, destaca o engenheiro agrônomo da pasta, Flávio Hillebrand. A cor avermelhada é efeito de pigmentos que, entre outros benefícios, atuam como antioxidantes.

Entre os cítricos tradicionais (laranjas e bergamotas), Caxias do Sul registra anualmente uma produção significativa. Para este ano, a estimativa da Emater/ Ascar – RS é que sejam colhidas no Município cerca de três mil toneladas de cítricos. A área plantada é de 245 hectares.


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *