Faixa Atual

Título

Artista


A paixão de um Pradense por obras de arte chega ao Margs

Escrito por em janeiro 11, 2022

Parte do acervo de Paulo Sartori será exposto no museu de Porto Alegre em uma exposição denominada Coleção Sartori: “A arte contemporânea habita Antônio Prado”

Gostar de Arte: Um hobbie adolescente que resultou na vida adulta a posse de um acervo de mais de 400 obras adquiridas pelo apreciador de artes Pradense Paulo Sartori e que neste mês chegam ao Museu de Artes do Rio Grande do Sul (Margs) através de uma coletânea com cerca de 240 obras de sua coleção pessoal.

A exposição denominada Coleção Sartori: “A arte contemporânea habita Antônio Prado” abrirá no dia 22 de janeiro, às 10h e seguirá exposta até o dia 1º de maio para apreciação do público. A curadoria está sob o comando de Paulo Herkenhoff um dos principais nomes da curadoria no país e um dos principais brasileiros atuantes no exterior nesta área.

A paixão do designer e um dos proprietários da empresa Essenza pelas artes iniciou na juventude através de um curso ministrado por Neusa Bocchese em que seguiu exercitando a pintura até próximo aos 18 anos, mas devido ao início de suas atividades profissionais acabou deixando o passatempo de lado.

Anos depois, já adulto, ao entrar em uma galeria Caxiense e adquirir a primeira obra para decorar sua casa, recém comprada, a ligação com a arte foi resgatada. “Quando eu entrei no carro pouco antes de dar a partida eu peguei na mão da minha esposa e comecei a chorar porque me voltou aquela questão da arte e a partir dali eu comecei a me envolver mais com ela. ”

Sua coleção atual conta com obras de arte contemporâneas recheadas de críticas sociais, políticas, entre outros temas provocantemente atuais e que integram os ambientes de sua casa de forma natural. A ideia de expor parte de seu acervo veio após receber um convite do amigo e artista carioca Túlio Pinto que em uma conversa com o atual diretor do museu Francisco Dalcol, comentou que Sartori possuía uma obra de autoria dele, entre diversos outros artistas e então deu a ideia de convidá-lo para expor no espaço.

“Eles me chamaram, aí enviei minha relação de obras na época, e em 2019 não era um conjunto tão grande quanto hoje, mas já era uma quantidade que o agradou então a gente bateu o martelo no mesmo dia de que a exposição seria realizada. ”

A mostra possuía previsão de inauguração ainda naquele ano, mas devido a pandemia acabou sendo postergada para o início deste ano. “Quando começou o processo de catalogação nesta semana eu nunca me senti tão feliz. É uma felicidade que não cabe em mim, é muito bacana. Na verdade, apesar de lá em 2019 em que eu achava bastante precoce esse convite e essa exposição, hoje vejo que a coleção está consolidada e desde o momento em que eu pensei em colecionar arte sempre pensei que a coleção não poderia ser só pra nós aqui de casa,” conta Sartori.

O colecionador já abriu suas obras para alunos da Escola Interativa e antes da Pandemia já chegou a receber em sua casa a visita de mais de 100 pessoas desde países como França a capitais como São Paulo e Porto Alegre e pretende em breve iniciar a construção de um espaço para receber apreciadores de arte e artistas.       

“O meu sonho sempre foi esse e eu falo isso pra minha esposa Nádia esse vai ser o meu legado, eu tenho um projeto já pronto para construir aqui atrás de casa uma galeria privada.”

Fonte: Repórter Taís Vargas

Crédito da foto: Thomas D’Avila


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *