Faixa Atual

Título

Artista


“A melhor forma de se proteger é o isolamento social, uso da máscara e álcool em gel”, disse o diretor do Hospital Fátima

Escrito por em março 24, 2021

Ezequiel Toscan, diretor técnico do Hospital Nossa Senhora de Fátima, de Flores da Cunha, concedeu entrevista à Rádio Solaris 99.1 FM

Ezequiel Toscan, diretor técnico do Hospital Nossa Senhora de Fátima, concedeu entrevista à Rádio Solaris 99.1 FM na terça-feira (23) e tirou algumas dúvidas dos ouvintes. Até a última terça (23) um total de 17 pacientes estavam internados com coronavírus em Flores da Cunha. Todos estavam instalados em leitos clínicos, sem necessidade de ventilação mecânica.

Segundo o diretor, a instituição hospitalar investiu em contratações, novos medicamentos e equipamentos. Assim sendo, o hospital está preparado para receber novos pacientes. A preocupação de Toscan é que quando o paciente evolui para um quadro mais grave, necessitando de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a situação está muito difícil. Nas últimas semanas os leitos de tratamento intensivo de Caxias do Sul têm estado superlotados.

Quando questionado sobre qual deve ser o primeiro passo de uma pessoa com suspeita de coronavírus, o Dr. Toscan disse que o ideal é procurar um posto de saúde. Por outro lado, pessoas com falta de ar, febre ou dor de cabeça persistente devem procurar o setor Covid do hospital.

De acordo com o médico, pacientes com sintomas leves, na falta de um tratamento cientificamente comprovado, devem adotar cuidados semelhantes a uma pessoa com gripe. Em relação ao tratamento precoce, incentivado pelo Governo Federal, o Dr. disse que o paciente pode conversar com o seu médico e, se ambos concordarem, o profissional da saúde poderá receitar os medicamentos. “Esse tratamento pode até funcionar para alguns, mas não há garantia que funcione para todos”, disse o diretor.

No decorrer da entrevista, muitos ouvintes mandaram perguntas, como por exemplo, se uma pessoa que já contraiu a Covid uma vez, pode pegar de novo. Toscan alertou que, apesar de não haver dados precisos, passados 90 dias do contágio pelo vírus a pessoa pode se infectar novamente. “A melhor forma de se proteger ainda é o isolamento social (quando possível), o uso da máscara e do álcool em gel”, resumiu o diretor do hospital. Para proteger o nosso sistema imunológico, ele enfatizou a importância de hábitos saudáveis, como uma boa alimentação, um boa noite de sono e, se possível, o mínimo de estresse possível.  

Você pode assistir a entrevista gravada em vídeo, clicando aqui.


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *