Faixa Atual

Título

Artista


“23 de fevereiro é o pior dia desde o início da pandemia, em Caxias”, diz prefeito Adiló Didomenico

Escrito por em fevereiro 23, 2021

Na manhã desta terça-feira (23), a ocupação de leitos de UTI chegou a 100% na rede pública

Em coletiva à imprensa, na manhã desta terça-feira (23), o prefeito de Caxias do Sul, Adiló Didomenico, falou sobre a gravidade do momento atual em função da rápida velocidade de transmissão do coronavírus nos últimos dias. Ele chamou a atenção para o descaso com que uma minoria da população tem tratado a pandemia. “Podemos definir o dia 23 de fevereiro como o pior da pandemia, na cidade, desde seu início em março passado”, afirmou.

A definição como pior dia teve origem na informação repassada durante a reunião do Gabinete de Crise, pela secretária da Saúde, Daniele Meneguzzi, de que a cidade tinha alcançado, pela manhã, ocupação de 100% dos leitos de UTI na rede pública, índice que se altera de forma dinâmica ao longo dos dias. Ao longo da tarde, foi anunciado que o nível de ocupação diminuiu para 95%.

O município seguirá as novas determinações do decreto estadual, que impôs bandeira preta para a Serra, e o regramento da cogestão regional. Dentre as medidas no decreto municipal publicado nesta manhã está a liberação de aulas presenciais para a educação infantil e para o primeiro e segundo anos do ensino fundamental. Os demais níveis deverão ter somente conteúdos remotos.

Didomenico reforçou sua preocupação a partir da constatação de uma mudança no perfil dos pacientes contaminados. Dados apurados pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS) apontam para a juvenilização dos novos pacientes, que também não apresentam comorbidades. “Jovens que saem para se divertir estão levando o vírus para os seus lares, contaminando familiares, com idades entre 40 a 50 anos. Ainda não se tem evidência clara, mas a tendência é que esteja ocorrendo adoecimento pela nova cepa do vírus”, alertou.

Em relação a pubs, bares, restaurantes e congêneres, que não podem operar das 20h às 5h, o Gabinete de Crise também tornou mais restrita a ocupação. Além do limite de 25% do previsto no PPCI, também está fixado o teto máximo de 70 pessoas.

Sobre o pior momento da saúde pública desde o início da pandemia, o prefeito enfatizou: “Nunca tínhamos chegado a este nível. Isto deixa claro como é importante a conscientização de todos”, reforçou o prefeito.


Opnião dos Leitores

Deixe uma Resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *